Por dentro do mercado: 10 dicas para investidores iniciantes

Se você deseja investir, mas não tem ideia por onde começar, confira passos importantes que vão ajudar você a se aventurar no mercado financeiro.

Não é de hoje que colocar dinheiro na poupança deixou de ser uma opção de investimento. Pela rentabilidade muito baixa, é como se as suas economias ficassem paradas, dando quase nada de retorno. Se você realmente deseja que seu dinheiro trabalhe para você, está na hora de ampliar seus horizontes.

Pode parecer difícil no começo, já que o mercado financeiro oferece muitas opções. Mas com muito estudo, informação, análise e ação, é possível se aventurar em seus investimentos. 

Confira 10 dicas para investidores iniciantes

1) Detalhe seus gastos

 

Mapeie todos os seus gastos mensais. Anote tudo o que você faz com o seu dinheiro: contas, boletos, almoço, lanche no meio do trabalho, sorvete no fim de semana, cinema, etc.. Dessa maneira, você consegue ter ideia para onde o seu dinheiro vai, onde é possível economizar, e onde sobra mais para você aplicar.

Depois de verificar onde cortar os gastos desnecessários, estabeleça um valor a ser aplicado com frequência. Dessa maneira, a cada mês, você depositará uma quantia determinada para ser investida.

 

2) Tome uma atitude

 

À primeira vista, pode parecer que você não tem dinheiro suficiente para investir. Mas analise a sua rotina e veja realmente se ela cabe no seu orçamento. A ideia aqui é que você viva um degrau abaixo dos seus rendimentos. Assim, sobrará dinheiro para ser investido.

Se você já fez de tudo para economizar, mas seu salário é só para pagar contas, comece a pensar em maneiras de render mais. Faça freelas, trabalhos extras, algo que possa render. Aumentando sua renda, haverá sempre um extra que possa ser investido.

 

3) Se informe!

A internet tem fontes infinitas de informações. Procure uma confiável, como na Capital Research, e comece a ler sobre estes assuntos. Há ainda profissionais com canais no Youtube ou em perfis no Instagram, que trabalham divulgando dicas de como investir de maneira didática e prática. Outras opções são os bons, velhos e confiáveis livros. A seção de investimentos na livraria é grande e não faltarão opções para suas leituras de cabeceira.

Leia também as notícias sobre mercado financeiro. Elas podem dar pistas sobre quais investimentos são os mais aconselháveis no momento.

 

4) Antes de tudo, pague suas dívidas

É muito bom vislumbrar um futuro promissor, com os sonhos sendo realizados. Mas nada adianta pensar lá na frente, se o seu presente é está cheio de dívidas a serem quitadas. Só dê esse passo inicial no mercado de investimentos depois de pagar tudo que é devido.

Acredite, por mais rentável que seja seu investimento, a taxa de juros de empréstimos cobrados por financeiras e bancos costumam ser maiores. Levante todas as suas dívidas e analise a melhor maneira de pagar ou negociar o valor devido. Aí sim, será a hora de destinar parte de sua renda às aplicações.

 

5) Analise as opções

 

Se você já tem o dinheiro que deseja investir, deve estar se perguntando: onde é o melhor lugar para deixá-lo? Isso vai depender de algumas variáveis, como o seu perfil de investidor, por exemplo, e quando você vai precisar resgatar o dinheiro.

Uma opção considerada segura e simples, são os fundos de renda fixa. São títulos de dívidas do governo, que oferecem uma taxa de rentabilidade, podendo ser pré-fixada ou pós-fixada. Assim, você sabe exatamente quanto o seu dinheiro rende. O mais famoso deles é o Tesouro Direto, mas há ainda o CDB (Certificado de Depósito Bancário), LCA (Letra de Crédito do Agronegócio), CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários), entre outros.

Já os fundos de renda variável possuem volatilidade, sendo difícil dizer o quanto eles irão render. Um dia podem estar com alta rentabilidade e no outro podem ter caído. Em compensação, podem apresentar rendimentos maiores do que os de renda fixa.

As ações são os títulos mais famosos de renda variável, mas há outros como o câmbio e as commodities.

Quanto ao seu perfil, analise em qual você se encaixa:

  • Conservador: prioriza segurança, mesmo que signifique menos rendimento
  • Moderado: procurar equilibrar segurança e rentabilidade
  • Agressivo: dá preferência à rentabilidade, mesmo diante dos riscos

 

6) Defina bem suas metas

 

Trace metas de maneira clara e bem definidas. Não seja vago nas suas vontades. O dinheiro é para uma viagem daqui a X meses? Dar entrada num apartamento próprio em três anos? É importante também separá-los em curto, médio e longo prazo. Isso dará mais clareza de em quanto tempo você precisará do dinheiro de volta, o que vai ajudar a definir o melhor fundo de investimento.

Além disso, sabendo exatamente o que você deseja fazer com o recurso, é um incentivo a mais para aplicar o dinheiro inicial e deixá-lo rendendo o tempo que for.

 

7) Comece com pouco

 

Mesmo que o dinheiro para aplicar pareça ser pouco, invista! A diversidade de fundos é grande, onde é possível começar investindo a partir de R$ 30,00, como os títulos do Tesouro Direto. O importante é se propor a guardar sempre uma quantia e investi-la.

 

8) Não se precipite

 

Vá com calma e espere os resultados, principalmente se você escolheu investimentos de renda variável. Como as oscilações são diárias, se você se precipitar e resgatar a aplicação antes do tempo, pode perder dinheiro. Seja paciente e aprenda a ler e a entender o mercado, antes de tomar qualquer decisão.

 

9) Aposte na variedade

 

Agora que você já analisou as opções que melhores se enquadram no seu perfil e nos seus anseios, é hora de investir. Mas não aposte todas as fichas em um único título. Varie! Quando você diversifica, o fundo em que coloca o dinheiro, também se protege de eventuais perdas, no caso de oscilações muito bruscas do mercado. Ou já que você investiu boa parte dos recursos em renda fixa, por que não arriscar um pouquinho comprando alguma ação?

 

10) Fique na cola do seu dinheiro

 

Depois de muito analisar, e ter colocado o dinheiro no fundo escolhido é hora de relaxar e só voltar a mexer nisso quando for o momento do resgate, certo? Errado! Acompanhe pelo menos a cada seis meses suas aplicações. Este é um bom período para analisar se suas apostas estão indo pelo caminho certo ou se é o momento de fazer os ajustes necessários.

Analise também as condições de mercado, principalmente as que estão relacionadas a suas aplicações. Notícias de investimentos podem ser um bom termômetro sobre o fundo que você escolheu e se o mercado está favorável a ele. 

Dúvidas sobre investimento? Consulte a Capital Research e receba as nossas recomendações

Recomendados

Investimentos

A corretora Rico é confiável? Tudo o que você precisa saber antes de investir

Leia o texto e veja se a corretora Rico é confiável e se é uma boa opção para os ...

1 ano atrás

Investimentos

Assessor de investimentos: saiba por que a profissão está em alta

Um assessor de investimentos é alguém que aconselha clientes sobre onde aplicar seu ...

12 meses atrás

Investimentos

Aprenda o que é e como calcular os juros simples

Entender o que é juros simples é o primeiro passo para tomar as melhores decisões ...

12 meses atrás