Alta do dólar: as razões e seus impactos nos investimentos

A alta do dólar e a consequente desvalorização do real mexem com o mercado financeiro. Entenda os impactos e como lidar com eles.

Quem acompanha notícias do mercado financeiro pode se assustar com a alta do dólar . De fato, esse é um movimento que impacta diferentes áreas da economia em todo o mundo. Com os investimentos, não seria diferente.

As oscilações na cotação da moeda americana afetam diretamente as importações e exportações, o preço de mercadorias e o valor dos ativos financeiros. Descubra, neste texto, como a alta do dólar pode influenciar suas aplicações e de que maneira você pode tirar proveito desse aumento.

O que causa a alta do dólar?

O dólar é a referência monetária mundial devido ao histórico econômico dos Estados Unidos – especialmente, no século XX. Por isso, a moeda é considerada forte o bastante para servir como ponto referencial a todas as demais.

Assim como outros ativos, o valor das moedas sofre influência devido à relação de oferta e procura. Logo, quanto maior a busca pelo dólar americano, maior será a sua cotação. No mesmo sentido, quanto menos pessoas e empresas procuram a moeda americana para a compra, menor será o seu preço frente à unidade brasileira.

Dessa forma, vários fatores podem alterar a proporção do preço real x dólar. Veja alguns motivos:

  • Crises internacionais que levam os investidores a comprarem dólar para se resguardar das perdas
  • Déficit na balança comercial, causado pelo aumento das importações brasileiras
  • Aumento das taxas de juros americanas e consequente fuga de capital para investimentos em dólar
  • Crescimento dos gastos brasileiros no exterior, impulsionando a demanda pela moeda dos EUA.

Vale lembrar, ainda, que o aumento da cotação do dólar afeta de maneira diferente o dólar turismo e o comercial.

O dólar turismo tem menos volume de negociação e, geralmente, é comprado e vendido por pessoas físicas. Assim, seu preço é sempre maior do que o comercial.

Já o dólar comercial tem grande volume de negociação por governos e empresas. É justamente o impacto da alta do dólar comercial que vamos tratar por aqui, ok?

A alta do dólar é positiva ou negativa?

Assim como diz o ditado popular, é preciso olhar os “dois lados da moeda”. Apesar do trocadilho com a relação dólar e real, é necessário observar a alta da cotação da moeda americana por várias perspectivas.

Quando o dólar fica mais caro, alguns dos reflexos econômicos são: o preço dos produtos importados aumenta, ocorre inflação e as exportações crescem. Além disso, o brasileiro tende a sair menos do país.

Assim, o custo dos importadores sobe, ocasionando o aumento dos preços finais e maior demanda por mercadorias nacionais – agora, mais baratas.

Como consequência, há inflação gerada tanto pelos importados, quanto por inércia. Nesse sentido, o governo pode aumentar a taxa de juros para incentivar a permanência dos investimentos no Brasil.

Os exportadores ficam mais competitivos fora do país e conseguem fazer vendas mais lucrativas. Por fim, com o dólar alto, o brasileiro gasta menos no exterior, mantendo suas compras e viagens dentro do país.

Portanto, para entender se a alta da moeda americana é positiva ou negativa, é necessário se perguntar, primeiro: para quem?

Como a alta do dólar afeta os investimentos

Especificamente sobre aplicações financeiras, o aumento da cotação do dólar pode impactar da seguinte maneira:

  • As taxas Selic e do Certificado de Depósitos Interbancários (CDI) tendem a subir, alterando a remuneração da renda fixa
  • Na bolsa de valores, quando o dólar sobe, as negociações de ações de empresas nacionais caem. A alta da moeda afeta negativamente as companhias que importam e positivamente aquelas que exportam
  • Aplicações atreladas às oscilações cambiais remuneram mais
  • Pode haver fuga de capital no Brasil, decorrente dos investimentos realizados no exterior.

Portanto, a valorização do dólar frente ao real pode trazer efeitos significativos sobre as aplicações financeiras no Brasil. Mas é importante alertar que esses são impactos esperados, mas não necessariamente se repetem sempre que há alta do dólar.

Melhores aplicações com dólar alto

O dólar subiu e, agora, onde investir? Veja alguns ativos onde colocar seu dinheiro para render mais.

 

Fundos Cambiais

Os fundos cambiais são investimentos diretamente indexados às variações do câmbio. Assim, quando a cotação do dólar sobe, as taxas de remuneração dessa aplicação ficam mais atrativas.

 

Fundos Multimercados

Já os fundos multimercados aplicam em variados tipos de ativos – como ações, commodities, moedas e títulos públicos. Portanto, eles tendem a equilibrar melhor os impactos negativos da alta do dólar e absorver os efeitos positivos do preço maior.

 

Ações

Sociedades anônimas que exportam conseguem maiores margens de lucro durante o período de cotação elevada da moeda americana. Assim, além da tendência à valorização das ações, o pagamento de dividendos pode ser mais atrativo do que o daquelas que não exportam.

 

Renda Fixa

Por fim, investimentos em ativos de renda fixa indexados à inflação, taxa Selic e CDI podem ter uma melhora durante a alta do preço do dólar. Vale observar que o aumento da remuneração não necessariamente significa crescimento da rentabilidade. Assim, avalie cuidadosamente a relação com a inflação e a taxa de juros da renda fixa.

Quer conhecer novos investimentos e ter melhores retornos? Então, continue na Capital Research e confira como investir melhor com nossos conteúdos, análises e carteiras recomendadas.

Recomendados

Investimentos

Dólar paralelo: o que é e como funciona essa operação

Operações com dólar paralelo ocorrem no chamado mercado negro, sem autorização ...

5 meses atrás

Investimentos

Entenda a diferença entre Dólar Comercial, Turismo e Paralelo

Saiba, de uma vez por todas, a diferença entre as cotações do Dólar Comercial, ...

5 meses atrás

Investimentos

Investir em dólar: veja 7 dicas e conselhos antes de comprar a moeda

Investir dólar pode fazer a diferença nos investimentos. Veja as principais dicas e ...

4 meses atrás