Commodities agrícolas: o que são e como investir neles

Commodities agrícolas são produtos negociados na bolsa de valores. Conheça as suas características e veja as principais dicas de investimento.

Commodities-agrícolas

Commodities agrícolas constituem a base de desenvolvimento da economia brasileira e mundial, tendo em vista que são mercadorias indispensáveis para a sobrevivência humana.

Por serem tão importantes, elas são negociadas como um ativo financeiro, embora a unidade de medida em cada uma delas remeta à mercadoria física.  Ou seja, quando você compra e vende uma unidade de soja, por exemplo, não é o produto em si que está sendo negociado, mas o seu valor de mercado.

Quem compra um ativo desse tipo não se torna proprietário de um quilo de açúcar, de milho ou de um barril de petróleo, mas dos direitos de negociar lastreado neles.

Parece confuso ou técnico demais? É verdade, quando não se tem muita experiência no mercado financeiro e de commodities, de fato, os conceitos e técnicas soam estranhos.

É para eliminar essa estranheza (ou parte dela) que desenvolvemos este artigo. Aqui, você saberá o necessário sobre um dos ativos mais rentáveis do mercado. Boa leitura!

O que são commodities agrícolas?       

Uma commodity agrícola é, essencialmente, uma mercadoria que resulta da prática agropecuária e, portanto, submetida a um grau mínimo ou inexistente de industrialização.

Caracteriza-se, também, por ser um produto homogêneo. Ou seja, não há diferenças entre o que se produz mundo afora. A soja, por exemplo, é sempre a mesma, seja ela produzida no Brasil ou na Argentina. O mesmo vale para mercadorias como café, açúcar, milho, entre outros, embora possam ser detectadas variações na qualidade.

Dado que são produtos fundamentais, já que não há sociedade que sobreviva sem eles, temos, então, um mercado de abrangência global.

De qualquer forma, isso não significa que commodities agrícolas estejam eternamente em alta. Como todo ativo negociado em bolsa, o valor de um produto oscila, dependendo de fatores como decisões governamentais e do próprio movimento do mercado.

Exemplos de commodities agrícolas     

O simples fato de ser um gênero agrícola não faz de um produto uma commodity.

Ameixas, por exemplo, embora sejam produzidas em larga escala, não são essenciais para a subsistência e, por isso, não têm valor estratégico. Por mais que sejam saborosas e indispensáveis no Natal, o fato é que poderíamos viver sem elas.

O que diferencia uma commodity de um gênero alimentício é justamente o alto valor de mercado que possui por ser muito valorizada no mercado.

Veja, ainda, que algumas commodities agrícolas apresentam uma outra característica fundamental: a partir delas, podem ser fabricados diversos outros produtos. É o caso da soja, milho, trigo e algodão.

Já outras são tão largamente consumidas que, até mesmo tendo bens substitutos, seus mercados continuam gigantescos. Café, suco de laranja e carne são alguns exemplos de commodities agrícolas desse tipo.

Hoje, as commodities agrícolas negociadas na B3, a Bolsa de Valores, com sede em São Paulo são:

  • Boi Gordo;
  • Café Arábica 4/5;
  • Café Arábica 6/7;
  • Açúcar Cristal;
  • Etanol Hidratado;
  • Etanol Anidro;
  • Soja;
  • Milho;
  • Petróleo;
  • Ouro

Por que investir em commodities?        

Deve-se destacar que commodities, em geral, são negociadas no chamado mercado futuro.

No Brasil, esse ambiente de negócios é controlado pela B3, que se encarrega de fazer a gestão das operações de hedge próprias do segmento.

Nesse tipo de negociação, o preço da commodity é tabelado para o futuro, ou seja, se o comprador vender em um momento no qual o preço está maior, ele terá lucro. Do contrário, quem lucra é o produtor.

Desse modo, as negociações com esses ativos podem vir a gerar lucros realmente muito altos, especialmente quando há notícias de grande impacto. Da mesma forma, os prejuízos também podem ser elevados, embora exista a análise técnica para minimizar essa possibilidade.

Portanto, o investimento em commodities agrícolas é indicado para investidores com algum grau de experiência e de perfil mais arrojado. Logo, é preciso considerar sempre a eventualidade de uma perda e estar pronto para assumir riscos nas negociações.

Como investir em commodities agrícolas      

Considerando as possíveis perdas, o investimento no mercado de commodities deve ser feito com algum preparo e uma boa dose de conhecimento. Afinal, trata-se de uma aplicação exposta a um elevado grau de volatilidade, sendo assim, de difícil previsão para quem não tem tanta experiência.

É bastante diferente se compararmos, por exemplo, com a aplicação em um título pré-fixado, no qual já se conhece o quanto se vai ganhar de forma antecipada. Ao negociar commodities agrícolas, o que vai determinar o lucro ou prejuízo é o movimento do mercado.

Por isso, vale se orientar pelos passos a seguir para evitar perdas e maximizar ganhos:

Escolha bem a corretora

Como ações, commodities são negociadas em bolsa, o que significa que você precisa de uma corretora para intermediar as operações. Nesse caso, prefira aquelas que dão suporte e publicam conteúdos educativos. Quanto mais conhecimento nesse mercado, mais segurança ao negociar, ainda mais quando se é iniciante.

Atente-se para as taxas      

Cada corretora opera com taxas de administração e índices distintos, cujas alíquotas podem impactar mais ou menos em seus lucros. Procure saber dessas taxas antes de abrir uma conta, já que entre uma instituição e outra pode haver diferenças consideráveis de preços.

Continue se informando

Já destacamos a importância de estar sempre bem informado, mas não custa ressaltar que, quanto mais conhecimento, menores as chances de ter prejuízos.

Nesse aspecto, o blog da Capital Research é a sua melhor fonte de notícias, artigos e conteúdo direcionado para o investidor. Aproveite para acessar nosso site e descobrir mais sobre como encontrar as melhores oportunidades de investimento de forma gratuita.

Recomendados

Investimentos

Análise de custos: o que é, para que serve e como fazer

Entenda a importância, quais os métodos mais utilizados e de que forma a análise ...

2 anos atrás

Investimentos

Aporte mensal: o que é e qual a importância nos investimentos

Aporte mensal é uma estratégia de investimento que mira maiores rentabilidades ao ...

1 ano atrás

Investimentos

Bullish: o termo que todo mundo quer ouvir no mercado financeiro

Mercado operando em alta e clima de otimismo entre acionistas tem nome: bullish. ...

1 ano atrás