Tesouro Direto: passo a passo de como investir

Entenda melhor sobre o Tesouro Direto, iniciativa que vem facilitando o acesso a investimentos em títulos públicos pela internet e para pessoas físicas

tesouro direto

Nos últimos anos, o número de brasileiros que têm procurado saber como investir no Tesouro Direto cresceu exponencialmente, e isso se deve principalmente à sua segurança e ao fato de ser uma alternativa com rentabilidade superior à poupança.

Por isso, preparamos este conteúdo com as principais informações que você precisa saber sobre o Tesouro Direto, como ele funciona e como começar a investir. Acompanhe a leitura do post para conferir!

O que é Tesouro Direto?

Desenvolvido em 2002, o Tesouro Direto é uma iniciativa do Governo Federal que foi originada em uma parceria entre a B3 (antiga BM&FBovespa) e o Tesouro Nacional. A finalidade do programa é simplificar o acesso a investimentos em títulos públicos pela internet e para pessoas físicas.

O Governo utiliza os títulos públicos para captar dinheiro para a gestão de diversas áreas, como educação, saúde e infraestrutura. Antes desse programa, investir no Tesouro Direto era um processo complicado e menos rentável, já que só era possível realizá-lo de forma indireta através de fundos de investimento em renda fixa.

Como investir no Tesouro Direto?

Hoje em dia, é possível começar a investir no Tesouro Direto com valores a partir de R$ 30. Quando comparado à caderneta de poupança, o Tesouro Direto tem uma rentabilidade superior, e que se torna mais significativa com o decorrer dos anos.

Qualquer pessoa pode começar a investir, basta ter um CPF ativo e uma conta corrente em alguma instituição financeira. A seguir mostraremos um passo a passo sobre como investir no Tesouro Direto.

 

Passo 1. Abra uma conta para investimentos

A primeira etapa do processo consiste em procurar uma corretora de valores e abrir uma conta. Lembrando que a Capital Research pode te ajudar a encontrar uma instituição com credibilidade e que se encaixa no seu perfil.

Você deverá escolher um banco ou uma corretora, também conhecida como agente de custódia. A corretora intermediará as transações com o Tesouro Direto e, se você preferir, solicitará seu cadastramento para abertura de uma conta em seu nome para operar com o Tesouro Direto.

Clique neste link para conferir a lista com todas as instituições habilitadas a operar com títulos públicos federais e as respectivas taxas administrativas cobradas por elas.

 

Passo 2. Acesse sua conta

O procedimento pode ser feito diretamente no site oficial do Tesouro Direto. Você só precisa inserir os seus dados e criar um login e uma senha. Após fazer isso, você terá acesso à área restrita do site, na qual poderá:

  • conferir a programação de investimentos;
  • comprar e vender títulos;
  • consultar extratos.

Entre outras transações.

Se você ainda não tem muito conhecimento sobre como funciona mercado financeiro, é recomendado deixar que essa parte do processo seja feita por agente de custódia especializado.

Lembrando que para começar a investir você deve transferir — o valor desejado — da sua conta bancária para a conta da corretora, por meio de um TED com a mesma titularidade.

 

Passo 3. Descubra qual o seu perfil de investidor

Antes de tomar qualquer decisão, é importante conhecer o seu perfil de investidor, e a Capital Research também pode te ajudar a descobrir, entre outros aspectos, quais as melhores oportunidades do mercado financeiro com base em suas características.

Você será avaliado com base em informações como:

  • idade;
  • objetivos;
  • conhecimento do mercado;
  • e perfil financeiro (patrimônio e renda).

 

Passo 4. Invista

Agora que você já conhece o seu perfil de investidor e está habilitado a começar a investir é o momento de tomar a decisão sobre qual título comprar.

Como já foi dito, a compra dos títulos é feita pela internet, através de uma plataforma de investimentos ou pelo próprio site do Tesouro Direto. No próximo tópico falaremos mais sobre estes títulos.

Quais são e como funcionam os títulos do Tesouro Direto?

Como investir no Tesouro Direto sem saber quais são seus títulos e como funcionam, não é verdade? Pois bem, primeiramente é preciso entender sobre cada categoria para tomar a decisão mais adequada aos seus objetivos.

Como já mencionamos, os recursos captados são direcionados para o financiamento de áreas como saúde, educação e infraestrutura. Dado o contexto, entenda como funciona a aplicação em cada um dos ativos.

 

Tesouro Prefixado

Existem duas modalidades de títulos prefixados:

  • Tesouro Prefixado;
  • Tesouro Prefixado com juros semestrais.

Nesta categoria, a rentabilidade é fixa, por exemplo, 7% ao ano. Desse modo, até a data do vencimento, você deve receber os 7%, independentemente de quais sejam as condições do mercado.

Em geral, os prefixados são recomendados para investidores que creem que os juros da economia possam cair futuramente. Também é indicado em casos em que o investidor precisa investir hoje para que um determinado valor seja atingido até o vencimento.

Uma vantagem da taxa de rendimento fixa é que, no ato da compra, você já pode saber qual valor resgatará no futuro. Sendo assim, esse pode ser o título ideal se você tiver um perfil mais conservador.

Outro aspecto do Tesouro Prefixado com juros semestrais é que é possível obter informações sobre o rendimento da aplicação a cada seis meses. Ou seja, não é necessário esperar até a data do vencimento para realizar o resgate do capital sem que ocorra uma possível perda de rentabilidade.

 

Tesouro Atrelado à inflação

Títulos atrelados à inflação são considerados híbridos pois a taxa de rentabilidade é composta por uma parte variável e uma parte fixa. Por exemplo, IPCA (variável) + 5% (fixo).

Desse modo, você sabe que o capital investido deve render fixamente os 5%. Contudo, há a possibilidade receber mais em alguns momentos, e menos, em outros, já que o IPCA está sujeito a variações com o decorrer do tempo.

De qualquer forma, o Tesouro IPCA + e o Tesouro IPCA+ (com juros semestrais) são títulos que proporcionam um ganho real ao investidor. Isso significa que você sempre ganhará acima da inflação.

Por isso, são recomendados para quem pretende proteger seu capital da desvalorização, mantendo o valor para pode comprar no futuro.

 

Tesouro Indexado à taxa Selic

Como o próprio nome já deixa claro, este é o único título público que tem rentabilidade indexada à taxa Selic. Certamente, é um dos títulos mais populares do Tesouro Direto, em especial por causa de sua flexibilidade.

Este ativo confere um retorno equivalente à taxa Selic. Portanto, é comparado a investimentos que pagam aproximadamente 100% do CDI.

Outro ponto interessante do Tesouro Selic é a sua baixa volatilidade, o que significa que caso o investidor saque o capital antes da data de vencimento, não perderá dinheiro. Além disso, ele sempre renderá positivamente. Ou seja, o dinheiro está sempre crescendo.

Dito isso, o Tesouro Selic é considerado como uma das categorias de investimento fundamentais para qualquer carteira, principalmente para quem pretende alocar o dinheiro para uma reserva de emergência.

Por que investir no Tesouro Direto?

Antes de concluirmos o artigo sobre como investir no Tesouro Direto, listamos os principais motivos pelos quais vale a pena apostar nos títulos públicos federais.

  • Acessibilidade — com uma aplicação mínima de R$ 30 já é possível comprar um título;
  • Rentabilidade — o Tesouro Direto tem uma rentabilidade superior à poupança;
  • Resgate — os títulos têm liquidez diária. Todos os dias os títulos são recomprados e vendidos, ainda que o investidor não tenha ficado com o título pelo prazo contratado;
  • Segurança —como o investimento é feito ao Governo Federal, o Tesouro Direto é um dos investimentos mais seguros do mercado;
  • Variedade — você pode investir em cinco diferentes tipos de títulos, com perfis distintos, para investimentos a curto, médio e longo prazo;
  • Facilidade — os títulos podem ser acompanhados diariamente através da internet, através do site do Tesouro.

 

Nosso artigo sobre como investir no Tesouro Direto foi útil para você? Então não deixe de acessar a Capital Research para receber orientações de especialistas sobre as melhores oportunidades do mercado financeiro com base em seu perfil de investidor!

Recomendados

Investimentos

Ação Vale: saiba as informações principais e o que pode afetar em seu valor

Conheça mais sobre a VALE3, código das ações da Vale, e entenda quais fatores ...

2 anos atrás

Investimentos

Bolsa de Valores: o que é, qual sua importância e 5 razões para investir

A Bolsa de Valores pode ser uma maneira de aumentar a rentabilidade dos seus ...

2 anos atrás

Investimentos

O que é LCA? Por que investir nesse título?

Saiba tudo sobre investimentos em LCA. Entenda porque investir nesse titulo, suas ...

2 anos atrás