Crowding out: o que é e quais são seus efeitos no Brasil

Descubra o que é o efeito crowding out na economia, suas consequências para a indústria e os efeitos no Brasil.

Crowding out

Quer entender o que é crowding out e quais são os efeitos que ele causa na economia? Aqui, você vai tirar as principais dúvidas sobre o assunto.

Resumindo, o crowding out consiste no aumento descontrolado dos gastos públicos para expandir a economia, resultando no inchamento do estado e na expulsão do capital privado. Mas dá para se aprofundar um pouquinho mais no conceito, não é mesmo?

Esse fenômeno negativo causado pela intervenção excessiva do estado interfere em diversas áreas da economia e da sua vida. Então, como o crowding out funciona na prática e quais são as suas consequências principais?  É o que vamos descobrir agora.

O que é crowding out

Crowding out é a consequência negativa da intervenção demasiada do estado na economia de um país.

O que ocorre nesse caso é a fuga do capital privado, que busca países mais amigáveis e se refugia internamente nos títulos públicos, sem exposição à criação de empresas e negócios.

Esse fenômeno decorre da atuação descontrolada de um governo que busca solucionar os problemas econômicos de forma dirigista.

Ao se envolver demais na economia (concentrando os empréstimos e financiamentos bancários e criando empresas públicas dotadas de monopólio, por exemplo), o estado atrapalha o empreendedor.

Mesmo querendo ajudar, acaba cometendo injustiças, elevando a ineficiência, reduzindo a produtividade, aumentando a inflação, diminuindo a liberdade econômica e, por fim, expulsando o capital privado.

Crowding out x crowding in

É importante conhecer a diferença entre crowding out e crowding in, outro fenômeno da economia. Confira abaixo.

Crowding out

O crowding out, como vimos, é um cenário em que o capital privado foge de um país e da economia por ver seu papel reduzido diante de um estado cada vez maior.

Nesse caso, há uma multiplicação de empresas estatais, soluções estatais, regulações, intervenções, dirigismo de crédito, redução da competitividade, entre outros.

Crowding in

O crowding in é a situação inversa ao crowding out.

Portanto, é quando o capital privado é atraído por meio da redução da participação do estado.

Trata-se de um dos objetivos do ministro da Economia, Paulo Guedes, por exemplo.

“Nós queremos as concessões, as privatizações. Queremos o crowding in”, disse o ministro em seu discurso de posse, em janeiro de 2019.

“Tem trilhões de dólares no mundo inteiro querendo participar do aumento de produtividade da economia brasileira, querendo entrar e nós com uma dificuldade enorme de desregulamentar, em aceitar o capital de fora para aceleramos o crescimento econômico”.

Crowding out no Brasil

No Brasil, o efeito de crowding out foi percebido com clareza em 2012, a partir da atuação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Na época, o banco financiava determinadas empresas e emprestava crédito a juros reduzidos.

Na prática, isso significa que o estado emprestava dinheiro mais barato do que o mercado financeiro. Só que com o detalhe de que o acesso a essas condições era restrito para poucos.

Em 2012, por exemplo, o BNDES teve um aumento de 12% no valor desembolsado em comparação com 2011, totalizando R$ 156 bilhões.

Além disso, foi possível perceber o crowding out a partir da atuação das companhias estatais, reduzindo espaço do capital privado na economia.

Em um trabalho acadêmico em Ciências Econômicas, Gonzalo Farías Alvez avalia o efeito de crowding out no Brasil e afirma que o aumento nos gastos do Governo consistiu em desestímulo aos investimentos privados.

“Compromete seriamente a atividade produtiva da economia brasileira, ao encarecer o custo do capital e desestimular o crescimento do produto e da renda”, conclui.

Consequências do crowding out

Confira os principais efeitos do crowding out em uma economia:

Redução dos investimentos privados

Conforme vimos, o aumento dos gastos por parte do Estado e estratégias como a adotada pelo BNDES em 2012 no Brasil expulsam o capital privado da economia, criando um cenário de desequilíbrio, em que poucas empresas recebem as benesses do governo.

Redução da produtividade e eficiência

Devido ao desequilíbrio provocado no momento em que o Estado concede empréstimos e benefícios para poucas empresas, há, de maneira geral, a diminuição da produtividade e eficiência no mercado.

Essa redução de competitividade acaba elevando os preços, o que prejudica o poder de compra e dá espaço para a inflação.

Concentração de poder

Se o crowding out cria um cenário em que nem todos competem com os mesmos recursos, outra consequência é a concentração de poder de poucos em detrimento da maioria.

Aumento do custo dos produtos

Como vimos, o crowding out reduz a competição e aumenta a interferência estatal, o que impacta diretamente nos custos de produção para as empresas.

Sendo assim, quanto mais elas gastam para produzir, mais precisam aumentar os preços de seus produtos para o consumidor final.

Gostou do conteúdo? Então assine a newslleter da Capital Research e receba novidades diariamente.

Recomendados

Investimentos

Ações preferenciais ou PN: entenda qual a vantagem

Ações preferenciais ou PN são ações com prioridade na distribuição de ...

2 anos atrás

Investimentos

Bacen: entenda o que é e como essa instituição afeta seus investimentos

O Bacen é uma instituição do sistema financeiro responsável por controlar a ...

2 anos atrás

Investimentos

Certificação PQO: como se qualificar enquanto investidor?

Aprenda mais sobre essa certificação essencial para profissionais que atuam e ...

2 anos atrás