Fintech: o que é e como influencia no mercado de investimento?

Descubra o que significa Fintech, como funciona e quais são as suas principais vantagens no mercado de investimento

Para quem busca investir ou para quem investe, é necessário se atualizar sempre quanto às novidades do mercado de investimento. Justamente por isso, saber conhecer o que é e como funciona uma Fintech é importante, já que se trata de um modelo de instituição bastante em alta no mercado financeiro.

Fintech é uma palavra inglesa que surgiu da junção dos termos em “financial” e “technology”. Esse segmento forma um nicho específico que utiliza a tecnologia a seu favor.

O conceito de Fintech é baseado em um objetivo que está além do tradicional, no mercado financeiro, já que segue a ideia de inovação, de focar nos clientes, ao invés dos produtos.

Mas, afinal: o que é Fintech? Por que o termo está tão em alta e como isso se relaciona ao mercado de investimento?

Fintech: o que é e como funciona?

Fintechs são empresas que se desenvolvem por meio dos processos tecnológicos e têm o objetivo de inovar o mercado financeiro, saindo do modo tradicional de funcionamento. 

A Associação Brasileira de Fintechs, por exemplo, as define como empresas que tem como característica a escalabilidade e a desburocratização dos processos organizacionais, com a visão de atuação transformadora do mercado.

As Fintechs funcionam com foco no mundo digital e se apoiam na busca de soluções que as empresas tradicionais não conseguem resolver. 

Buscando desburocratizar os serviços e criando novas estruturas no mercado, as Fintechs atuam na busca de defasagens e mantêm o foco em soluções muitas vezes voltadas para o mundo digital, como contas bancárias digitais, empréstimos online e gestão de companhias.

As Fintechs têm sua regulamentação por conta do mercado financeiro e do Conselho Monetário Nacional (CMN) e se sustentam em Resoluções como a de n° 4.656 e n°4.657, bem como na Lei 12.865.

Os tipos de Fintechs encontradas são dos setores de pagamentos, gestão financeira, empréstimo e negociação de dívidas, crowdfunding, investimentos, eficiência financeira, blockchain, bitcoin e seguros. 

Diferença entre Fintech e Startup

As Fintechs podem ser vistas, inicialmente, como startups. Uma startup pode ser definida como um negócio em fase inicial, mas que possui potencial de crescimento e tem uma proposta inovadora.  

As principais diferenças entre um modelo e outro estão nas questões de estágio inicial e do setor financeiro. 

Basicamente, as startups têm grande potencial de rápido crescimento, além disso, as startups não fazem parte, necessariamente, do setor financeiro, diferente das Fintechs.

As startups, por exemplo, podem atuar no setor de entretenimento, alimentação, vestuário, tecnologia e qualquer outro. As Fintechs, embora possam ter diferentes produtos, atuam mais no setor financeiro como de cartão de crédito, contas digitais, cartão de débito, empréstimos, seguros, investimentos, entre outros.

O que é uma Fintech de investimento?

Sabendo que uma Fintech se utiliza da tecnologia para solucionar seus processos fica mais fácil compreender o que é uma Fintech de investimento. 

Basicamente, uma Fintech de investimento segue na mesma linha de todas as Fintechs, pois se baseia nos processos tecnológicos e inovadores para executar seu próprio serviço financeiro. 

Ou seja, uma Fintech de investimento proporciona, por meio da tecnologia, investimentos mais rentáveis e menos burocráticos.

Outro fator importante em que as Fintechs se baseiam é na transparência, isto significa dizer que as Fintechs se preocupam em oferecer investimentos mais transparentes para o investidor

Principais vantagens

As principais vantagens das Fintechs encontram-se nas soluções rápidas e menos burocráticas, e por poder contar com custos baixíssimos para os clientes – um exemplo é o uso do próprio smartphone dos usuários. Todo esse processo está baseado na tecnologia e no mundo digital.

Normalmente, as Fintechs são mais específicas e se especializam em um tipo de investimento, podendo manter mais domínio nas operações. Podem oferecer mais segurança aos investidores, enquanto outras instituições financeiras, focam em oferecer um leque maior de opções de investimento. 

Nesse quesito, as Fintechs de investimento se destacam das intuições tradicionais, pois conseguem focar no problema do cliente e trazer soluções rápidas para cada caso. Além disso, podem contar com uma experiência maior naquele setor e oferecer uma rentabilidade mais agradável aos clientes justamente por ter maior domínio.

Outro ponto que merece maior destaque está na facilidade. Os serviços oferecidos pelas Fintechs de investimento permitem maior comodidade aos clientes, já que não é necessário ir até uma corretora para abrir uma conta,

As Fintechs de investimento permitem que esse processo seja realizado junto aos meios tecnológicos mais utilizados, como smartphones, tablets, notebooks ou computadores. Ou seja, a qualquer momento e em qualquer lugar é possível começar a investir. 

Entre os principais exemplos de Fintechs para investir encontram-se:

  • Nubank: Consolidada no mercado, a Nubank revolucionou o mercado com o cartão de crédito sem anuidade e facilidade de acompanhar tudo pelo aplicativo do celular. Para investir, basta fazer um depósito na NuConta que automaticamente terá um rendimento de 100% do CDI;
  • Urbe.me: Indicado para investimentos no mercado imobiliário, o urbe.me se caracteriza do conceito de crowdfunding. O investidor pode começar a investir a partir de R$ 1 mil, recebe título de participação de vendas e é periódico;
  • Magnetis: Permitindo fazer aportes adicionais acima de R$ 100,00 e investimentos a partir de R$ 1 mil, a Magnetis é uma gestora de investimentos com sede em São Paulo, que apresenta transparência em seus processos;
  • Monetus: Assim como a Magnetis, a Monetus também é uma gestora de investimentos, que está ligada a investimentos digitais e, com passos simples, o investidor consegue ter acesso ao serviço e acompanhar tudo pelo celular ou computador. 

Esses são só alguns exemplos para quem busca investir de forma fácil, sem burocracia, sem necessidade de gastar muito tempo para a operação. Além disso, podendo acompanhar tudo de forma mais cômoda e segura, mas existem muitas opções e que se adequam a todo tipo de investidor.

Quer saber como investir melhor? Confira os planos da Capital Research. Você terá acesso a conteúdos exclusivos e ainda terá o auxílio de uma equipe de especialistas para te orientar nos investimentos.

Recomendados

Investimentos

Saiba tudo sobre os ativos digitais e confira dicas sobre o assunto

Qualquer ativo digital faz parte do patrimônio de uma empresa e tem papel ...

9 meses atrás

Investimentos

Litecoin: conheça essa moeda virtual e veja se vale a pena investir

Litecoin é uma moeda virtual, ou criptomoeda, também conhecida como prata digital. ...

7 meses atrás

Investimentos

BDR: Invista no exterior, sem sair do Brasil

Conheça as vantagens e desvantagens do BDR, os fundos que investem em títulos de ...

5 meses atrás