Índice de Basileia: o que é e como calcular

O Índice de Basileia é um indicador utilizado para análise do nível de endividamento das instituições bancárias. Veja como funciona

Se você investe ou pretende investir em bancos, precisa conhecer o Índice de Basileia.

Ao fazer aplicações financeiras, uma das importantes informações que o investidor deve observar é a capacidade de pagamento da empresa em questão. Nesse sentido, o Índice de Basileia é um dos indicadores mais utilizados sobre a solvência da instituição financeira.

Seu cálculo exige diferentes dados, porém, com atenção aos detalhes, você consegue entender como ele pode auxiliar os seus investimentos.

Acompanhe o artigo para saber mais!

Índice de Basileia: o que é?

O Índice de Basileia (IB) é descoberto a partir da conta entre o Patrimônio de Referência e o valor dos ativos ponderados pelo risco (Risk Weighted Assets – RWA). Ele ajuda a descobrir qual o grau de solvência da companhia.

Em outras palavras, fornece informações sobre a capacidade que os bancos têm para cumprir suas obrigações de pagamento. Por isso, o IB também é conhecido como índice de solvência ou de solvabilidade de uma instituição financeira.

Mas o que isso significa para o investidor? Para entender, vamos por partes.

As dívidas adquiridas por uma empresa são, no geral, para realizar investimentos no negócio.  Assim, uma fábrica toma um empréstimo para comprar mais máquinas e melhorar a produtividade, por exemplo.

No caso dos bancos, no entanto, os créditos que eles adquirem são para a concessão de novos créditos no mercado. Ou seja, eles pegam dinheiro emprestado para emprestar para outras pessoas e instituições.

Essa é a atividade-fim das instituições financeiras: ter lucro através do spread bancário.

Portanto, o nível de endividamento de um banco é referente ao quanto de recurso financeiro ele captou para conceder crédito ao mercado. Contabilmente, no entanto, isso se torna mais complexo.

Assim, para avaliar a capacidade que os bancos têm de cobrir as obrigações com recursos próprios – ou seja, excluídos os de terceiros -, foi criado o Índice de Basileia. O valor mínimo exigido pelo Banco Central do Brasil é 11% e, o máximo, 50%.

Breve histórico do Índice de Basileia

Em 1988, o Comitê de Supervisão Bancária de Basileia firmou o Acordo de Capital de Basileia ou, como também ficou conhecido, Basileia I. Seu objetivo central era definir o mínimo que os bancos deveriam ter de capital próprio para custear suas operações. O índice teria validade em todo o mundo.

Em seguida, ajustes foram realizados e, em 2004, houve a primeira revisão do acordo, que deu origem ao Basileia II. Nessa mudança, os números ficaram mais rigorosos, a fim de conferir maior precisão ao índice.

Mesmo com todos os estudos que criaram o acordo e suas alterações, o mundo presenciou a crise de 2008. Então, os organismos internacionais perceberam que seria preciso tornar o IB ainda mais restrito.

Surgia, assim, o Basileia III, no ano de 2010.

As principais inovações do Basileia III são:

  • Elevação da qualidade e quantidade do capital regulatório;
  • Aperfeiçoamento dos fatores para a ponderação de ativos pelo risco;
  • Introdução dos buffers (colchões) de capital para conservação e contracíclico;
  • ​Novos requerimentos de liquidez e alavancagem;
  • Requisitos prudenciais para as instituições sistêmicas.

Atualmente, as regras que valem para a análise da capacidade de pagamento dos bancos estão no Basileia III.

Confira o histórico do IB na imagem abaixo:

Como o Índice de Basileia é calculado?

O cálculo do IB é feito da seguinte forma:

  • IB = PR / RWA.

Onde:

  • IB: Índice de Basileia;
  • PR: Patrimônio de Referência;
  • RWA: valor dos ativos ponderados pelo risco.

O Patrimônio de Referência é encontrado através da soma de dois níveis de capital: o Nível I e o Nível II (Tier 1 e Tier 2). O nível I é composto pelo Capital Principal (ações ON e PN + Reserva de Lucros + Lucros Acumulados) e Capital Complementar. Todos esses dados são publicados no balanço patrimonial.

Exemplo real do Índice de Basileia

Vamos ver como descobrir o IB com um exemplo prático?

Considere os dados do Balanço Patrimonial do Banco Santander no ano de 2018:

  • Patrimônio de Referência = R$ 66.363.890;
  • RWA = R$ 440.562.919.
  • Logo, o Índice de Basileia da instituição é:
  • IB = R$ 66.363.890 / R$ 440.562.919 = 15,06%.

Ou seja, para cada R$ 100,00 emprestados, o banco possui patrimônio de R$ 15,06. Segundo as normas aplicadas pelo Bacen, o Santander está dentro do limite permitido para o Índice de Basileia.

Como encontrar e analisar o Índice de Basileia

Você pode fazer a conta manualmente para encontrar o IB de uma instituição financeira. Porém, já é possível ter acesso diretamente ao número através do Portal Banco Data.

Para isso, basta entrar no site, digitar o banco que deseja pesquisar e ter uma série de informações e dados sobre a instituição. Além disso, através das páginas oficiais dos bancos, dá para conferir os relatórios e o Índice de Basileia atualizados.

Com a informação em mãos, você consegue verificar a saúde financeira da instituição e, assim, fazer investimentos mais seguros. Continue aprendendo sobre finanças e negócios com a gente!

Acesse os demais conteúdos da Capital Research agora mesmo. Aproveite para visitar nosso site e descobrir mais sobre como encontrar as melhores oportunidades de investimento de forma gratuita.

Obrigado pela leitura!

Recomendados

Investimentos

Ajuste de Avaliação Patrimonial: entenda o conceito e como aplicar

Saiba como funciona o Ajuste de Avaliação Patrimonial. Confira nosso artigo e ...

2 meses atrás

Investimentos

Cálculo de depreciação: como fazer e qual sua importância

...

3 meses atrás

Investimentos

Fundos Multimercado: por que investir e como escolher

Fundos multimercado são aplicações administradoras por gestoras para entregar ...

5 meses atrás