Letra de câmbio: o que é, quem emite e quanto rende?

A Letra de Câmbio é uma opção segura e rentável entre os investimentos de renda fixa. Entenda como funciona e se vale a pena.

A Letra de Câmbio é um investimento de renda fixa que oferece boas perspectivas de segurança e rentabilidade. Por ser emitida pelas financeiras, costuma apresentar rendimentos superiores a produtos mais tradicionais, como CDs, LCIs e LCAs.

Trata-se de um título de crédito que surgiu como instrumento de câmbio de moedas entre comerciantes. Hoje, ele é ofertado por instituições financeiras e está disponível em versões prefixadas, pós-fixadas e híbridas. 

Se você ainda não investe nesses títulos, vamos explicar como escolher uma Letra de Câmbio com base no objetivo, prazo e valor da aplicação. Continue lendo e veja se vale a pena incluir essa aplicação no seu portfólio. 

O que é Letra de Câmbio

Letra de Câmbio, ou simplesmente LC, é um título de crédito emitido por instituições financeiras que representa uma ordem de pagamento. O ativo faz parte da renda fixa e é muito semelhante ao CDB (Certificado de Depósito Bancário) emitido pelos bancos.

A LC é considerada uma opção segura e com boa rentabilidade, podendo ser atrelada ao CDI ou combinada com uma taxa fixa mais a inflação (por exemplo, 105 % do CDI ou 3,5% + IPCA). Além disso, é uma alternativa aos produtos tradicionais de renda fixa como CDBs, LCIs e LCAs. 

O prazo do investimento nas Letras de Câmbio varia bastante, mas costuma girar em torno de dois anos e pode chegar até sete anos. O ideal, no caso, é manter o ativo durante todo o período previsto, para aumentar os rendimentos no vencimento do título. 

Para os investidores de perfil mais conservados, a Letra de Câmbio é interessante para diversificar as aplicações e buscar resultados melhores na carteira. Para os mais arrojados, é uma forma de proteger parte do patrimônio com uma rentabilidade superior a outros ativos do mercado.

Quem emite a letra de câmbio?

A Letra de Câmbio é emitida por sociedades de crédito, financiamento e investimentos — ou seja: instituições financeiras de modo geral. Ao comprar uma Letra de Câmbio, você está “emprestando” dinheiro à financeira que emitiu o título e, em troca, receberá o valor acrescido de juros e correção monetária. 

Na prática, a LC é uma ordem de pagamento, no qual o sacador emite a ordem para que o sacado pague e o tomador se beneficie. Assim, o saque autoriza o tomador a procurar o sacado para receber a quantia acordada no título, desde que cumpra as condições do contrato.

Rentabilidade da Letra de Câmbio

A rentabilidade da Letra de Câmbio depende do tipo de título escolhido, pois há opções prefixadas, pós-fixadas e híbridas.

Além disso, as taxas também variam de acordo com a instituição. Se comparadas com outros ativos de renda fixa, as LCs costumam oferecer rentabilidade próxima de 100% do CDI

Confira os rendimentos para cada tipo de ativo.

LC prefixada

A Letra de Câmbio prefixada possui juros fixos e permite saber quanto será pago no vencimento do título no ato da compra. É vantajosa caso os juros caiam dentro do prazo de investimento, mas terá um rendimento abaixo do real se os juros subirem.

LC pós-fixada

A Letra de Câmbio pós-fixada tem sua rentabilidade atrelada a indicadores como o CDI. Dessa forma, para saber quanto o título vai render no final, é preciso acompanhar as variações do indexador.

LC híbrida

A Letra de Câmbio híbrida combina uma taxa prefixada e outra pós-fixada, como no exemplo do CDI fixo atrelado à variação da inflação (IPCA). Por isso, é o tipo mais indicado para quem deseja manter o poder de compra e obter ganhos reais sobre a inflação — especialmente em objetivos de médio e longo prazo.

Letra de Câmbio tem proteção do FGC?

O FGC (Fundo Garantidor de Créditos) é uma instituição privada sem fins lucrativos que protege os investidores brasileiros e previne o risco de uma crise bancária em nível nacional. Ele é formado pelos recursos depositados periodicamente por instituições como a Caixa Econômica Federal, bancos de desenvolvimentos e sociedades de crédito.

Assim, todas as modalidades de investimentos protegidas pelo FGC dão direito a uma cobertura de R$ 250 mil (teto por CPF/CNPJ) em caso de falência da instituição financeira. Felizmente, a Letra de Câmbio entra na lista de investimentos segurados, dando mais tranquilidade para o investidor que escolhe esse título. Outros investimentos cobertos pelo FGC são os CDBs, LCIs, LCAs, RDBs e LHs. 

Se você está buscando diversificar seus investimentos em renda fixa, as Letras de Câmbio podem ser interessantes. Para ter certeza sobre as melhores aplicações para o seu perfil e objetivos, assine a newsletter da Capital Research e fique por dentro dos ativos mais promissores em renda fixa e variável.

Recomendados

Investimentos

10 livros para o investidor sobre mercado financeiro

Opções de leitura não faltam para quem quer investir. Veja lista com 10 livros ...

9 meses atrás

Investimentos

5 melhores podcasts para ouvir e aprender mais sobre negócios

Na Era dos Podcasts não faltam opções para quem está buscando dicas sobre ...

8 meses atrás

Investimentos

6 dicas para ficar rico: você também pode alcançar a riqueza!

Confira uma lista com 6 dicas para ficar rico combinando economia de despesas, renda ...

11 meses atrás