Mercado Financeiro: tudo que você precisa saber sobre e como funciona

Entenda melhor sobre a bolsa de investimentos e sua utilidade nos negócios, assim como saber mais sobre perfil de investidor.

Mercado Financeiro

Você já se perguntou o que é mercado financeiro? De fato, é um termo que tem sido muito utilizado ultimamente por conta do crescimento no número de brasileiros que têm se tornado ativos na área de investimentos.

Em suas pesquisas, é muito provável que você tenha se deparado com termos como debêntures, Letras de Crédito, títulos imobiliários, renda fixa e variável, taxa Selic, entre tantos outros, não é verdade?

Pois bem, neste conteúdo mostraremos as informações mais importantes que você precisa saber para entender o que é mercado financeiro, para que ele serve e quais são os principais tipos de investimentos. Continue a leitura do artigo para conferir!

O que é mercado financeiro?

Por definição, mercado financeiro é um ambiente de comercialização de mercadorias (produtos agrícolas, ouro), câmbio (moedas estrangeiras) e valores imobiliários (títulos, ações, opções).

Diversas instituições estão envolvidas nessas negociações, que além de facilitarem a relação entre os agentes, também regulam e fiscalizam as transações realizadas. O papel do investidor, no mercado financeiro, é o de disponibilizar dinheiro com o intuito de multiplicá-lo.

Para isso, existem diversos caminhos, mas todos partem da mesma premissa: o capital é destinado a uma determinada aplicação que oferece valorização com base nas diretrizes acordadas entre as partes.

Nos títulos de renda fixa, por exemplo, o investidor pode fazer uma projeção da rentabilidade no ato do investimento.

Ou seja, ele já saberá se o seu dinheiro será valorizado de forma prefixada — com um juro anual definido — pós-fixada, associada a um indicador, ou híbrida, na qual ele pagará um valor fixo de juros somado à variação de um índice de preços.

Enquanto na renda variável, não existe uma garantia de retorno. Por exemplo, um investimento em ações de uma instituição na bolsa de valores pode tanto valorizar quanto desvalorizar, dependendo do interesse do mercado.

Mercado financeiro: para que serve?

De um lado do mercado financeiro, há os investidores, como mostramos no tópico anterior, do outro, há os tomadores de recursos. Eles são as instituições ou empresas que desejam captar recursos para diversos fins, como:

  • financiamento de maquinário;
  • pagamentos de dívidas;
  • lançamento de novos produtos ou serviços.

 

Entre outros.

Sendo assim, podemos afirmar que uma das principais finalidades do mercado financeiro é impulsionar o fluxo da economia do país de forma funcional e democrática.

Imagine que você invista R$ 10 mil em um Certificado de Depósito Bancário (CDB) em um determinado banco. Como retorno, você receberá juros prefixados de 10,3% ao ano, ao vencimento do título.

Se outra pessoa procurar o mesmo banco para solicitar um financiamento de R$ 10 mil para cobrir parte do valor de um carro que ela esteja comprando, o que acontece? A instituição emprestará o dinheiro cobrando uma taxa superior à que está pagando ao investidor.

Dessa forma, as duas vertentes da economia estão conectadas pelo mercado financeiro. As instituições intermediárias facilitam o relacionamento entre os investidores e os tomadores. Para isso, o intermediário cobra uma taxa sobre as transações.

Quais os mercados inseridos no sistema financeiro?

Agora que você já sabe o que é mercado financeiro, mostraremos como ele pode ser dividido em subcategorias.

 

Mercado de Capitais

É responsável por tratar de ações, títulos e derivativos em corretoras, na bolsa de valores e em outras instituições financeiras.

Quando uma pessoa investe em uma LCI ou LCA de um determinado banco de investimentos, ela está fazendo uma aplicação no mercado de capitais. O mesmo se aplica quando ela compra um lote de ações na bolsa.

 

Mercado de Crédito

É neste mercado que são negociados os recursos de curto, médio e longo prazo para empresas e pessoas físicas que procuram capital para consumo ou capital de giro. Ou seja, empréstimos e financiamentos.

O responsável por controlar e normatizar esse mercado é o Banco Central do Brasil e, por meio do Conselho de Política Monetária, ele dita os juros básicos da economia (taxa Selic), que são refletidos nos empréstimos.

 

Mercado de Câmbio

Este mercado é onde acontece a troca de moeda de um país pela moeda de outra nação. Por exemplo, quando uma pessoa viaja para os EUA e deseja comprar dólares para garantir um passeio na Disney ou realizar compras, ela está atuando no mercado de câmbio.

 

Mercado Monetário

É nele que os empréstimos de curto prazo, com vencimentos inferiores a um ano, são realizados. As negociações acontecem, principalmente, por meio de títulos do Tesouro. Os agentes desse mercado são as instituições financeiras e o Banco Central.

Quais são os principais ativos?

Os principais ativos que compõem o mercado financeiro, são:

  • Debêntures — títulos emitidos por sociedades anônimas;
  • Ações — dívidas ordinárias e preferenciais;
  • Opções sobre ações — direito de compra e venda de ações;
  • Commercial Papers — títulos privados de curto prazo;
  • Mercado de renda fixa.
  • Mercado futuro — contratos e mini contratos.

Quais são os principais investimentos?

O mercado financeiro oferece dois tipos de investimento: os títulos de renda fixa e os de renda variável. Ambos são bastante interessantes e atendem aos objetivos dos diversos perfis de investidores, por isso não podem ser descartados.

Antes de prosseguirmos, um ponto relevante a ser destacado: a taxa de adesão da renda fixa é muito maior do que a de renda variável em nosso país, embora a campeã de aplicações ainda seja a poupança.

 

Renda Fixa

Basicamente, é o tipo de investimento que permite ao investidor fazer uma projeção ou o cálculo de um retorno exato antes de realizar a aplicação. Ou seja, na hora da compra já é possível saber quanto o dinheiro irá render, ao final do contrato.

Como já mencionamos, títulos como esse podem ter uma rentabilidade prefixada (com um juro anual definido), pós-fixada, associada a um indicador como o CDI, ou híbrida — uma taxa de juro fixa mais a variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerando o índice de inflação do país.

Alguns exemplos de renda fixa são a maior parte das aplicações que você já deve ter se deparado em suas pesquisas, como Letra de Crédito Imobiliário (LCI), Letra de Crédito do Agronegócio (LCA), Certificado de Depósito Bancário (CDB), debêntures, Letra de Câmbio (LC), Tesouro Direto, entre outros.

 

Renda Variável

Embora seja menos explorada pelo investidor pessoa física no Brasil, a renda variável representa uma fatia bem ampla dos investimentos em mercados mais desenvolvidos, como nos Estados Unidos.

Entre os exemplos de renda variável, podemos citar:

  • opções;
  • ações;
  • fundos de investimentos de ações e multimercados;
  • derivativos da bolsa de valores

Entre outros.

Em comparação com a renda fixa, a renda variável tem volatilidade superior e um risco de prejuízo maior. Contudo, oferece potencial de retornos mais elevados.

Para quem está iniciando a sua atuação no mercado financeiro, é fundamental saber que não há “segredo”, mas a diversificação é uma das melhores formas de garantir bons resultados.

O que queremos dizer é que não é recomendado alocar todas as suas reservas apenas em renda variável. O primeiro passo é se informar bastante e descobrir o seu perfil de investidor, para saber qual tipo de investimento faz mais sentido para você.

Inicialmente, é aconselhável destinar parcelas menores, como 5% ou 10% para ações ou fundos.

Dado o contexto, é interessante lembrar que a Capital Research proporciona uma grande variedade de informações ricas sobre as melhores oportunidades do mercado financeiro com base em seu perfil de investidor.

Por que é importante acompanhar a rede de notícias financeiras?

Se você deseja iniciar suas atividades como investidor, não basta saber o que é mercado financeiro, é preciso acompanhá-lo constantemente. Por isso, manter-se informado pela internet ou televisão é algo que deve fazer parte de sua rotina.

Outra forma interessante de ficar por dentro das informações é acompanhar o blog da Capital Research. Postamos semanalmente dicas, novidades e todo o tipo de conteúdo sobre o segmento para que você se mantenha atualizado sobre tudo que está acontecendo no mercado financeiro.

Como você pôde perceber até aqui, a informação é fundamental para quem deseja ser um investidor consciente e bem-sucedido. Se você tem interesse em acompanhar as notícias financeiras, pode acessar também sites como:

  • Infomoney;
  • Exame;
  • Globo News;
  • G1 Economia.

Lembrando que é muito comum que você se depare com notícias políticas juntamente aos editoriais econômicos. Isso acontece porque o cenário macro da sociedade e a política têm uma forte influência sobre o mercado financeiro.

Um bom exemplo disso foi quando o ex-presidente Michel Temer foi supostamente envolvido em um escândalo de corrupção, no dia 18 de maio de 2017, e o mercado financeiro se abalou e uma grande quantidade de investidores inexperientes acabaram perdendo dinheiro.

Como você pôde conferir neste conteúdo sobre o que é mercado financeiro, este é um âmbito bastante abrangente e que acolhe os mais variados perfis de investidores. Existe uma grande variedade de títulos para aplicar capital e obter rendimentos.

A rentabilidade depende de uma série de fatores, entre eles o quanto você se mantém informado sobre o cenário econômico e as questões internas e externas que o afetam.

Este artigo foi útil para você? Ainda tem alguma dúvida sobre para que serve o mercado financeiro ou algum outro aspecto que abordamos ao longo do post? Então acesse a Capital Research para se informar com os melhores especialistas do setor!

 

Recomendados

Investimentos

Bolsa de Valores: o que é, qual sua importância e 5 razões para investir

A Bolsa de Valores pode ser uma maneira de aumentar a rentabilidade dos seus ...

2 anos atrás

Investimentos

Tesouro Direto: passo a passo de como investir

O Tesouro Direto é uma opção mais rentável e tão segura quanto a poupança. ...

2 anos atrás

Investimentos

Spread bancário: o que é, como é composto e qual a diferença no Brasil

Confira tudo sobre o spread bancário, qual sua composição e porque no Brasil esse ...

2 anos atrás