O que são prejuízos acumulados e como calcular

Prejuízos acumulados representam o saldo negativo registrado antes que ele seja absorvido pelo lucro de uma empresa. Veja como calcular

Os prejuízos acumulados, assim como acontece com o lucro líquido esperado, são uma estimativa que deve fazer parte do controle orçamentário de qualquer empresa. E não é difícil de entender a razão para isso, afinal, todos passamos por momentos de altos e baixos e, nas organizações, isso não é diferente.

Compreender o que são os prejuízos acumulados, onde eles entram no orçamento e o motivo de serem determinantes para o balanço patrimonial das empresas – junto com os lucros acumulados – é essencial para a saúde financeira do negócio.

Neste artigo, vamos entender o conceito, como calcular e o que fazer com os resultados.

O que são prejuízos acumulados?

Os prejuízos acumulados representam o saldo negativo de uma empresa que ainda não foi totalmente absorvido pelo lucro, não tendo seu destino final realmente determinado.

Na prática, são o montante dos resultados negativos da empresa em um determinado período que restou. Esse é um valor que ainda pode vir a ser absorvido pelo lucro acumulado, mas que consta no seu patrimônio líquido.

Como apurar o prejuízo acumulado?

Quando é realizado o encerramento do exercício da empresa, é essencial que o resultado apurado do ano seja transferido para a conta de lucros ou prejuízos acumulados. Do ponto de vista contábil, tanto o lucro quanto o prejuízo acumulado de uma organização fazem parte de uma mesma conta.

Ou seja, o natural é que um abata o outro, certo?

Então, se uma organização possui um prejuízo acumulado, isso significa que o lucro vai compensar esse saldo negativo do período.

Vamos imaginar que uma empresa possua um lucro acumulado de R$ 300 mil e um prejuízo acumulado de R$ 230 mil. Isso significa que o resultado acumulado da empresa, ou seja, o lucro acumulado menos os prejuízos acumulados, será de R$ 70 mil.

São esses dados que influenciarão diretamente no patrimônio líquido dessa organização e, com isso, a divisão de lucros ou utilização desses valores em investimentos.

O que acontece com os prejuízos acumulados?

Quando falamos sobre o lucro de uma empresa, sabemos que ele pode ter diferentes destinos, como ser dividido entre os acionistas.

Já no caso do prejuízo, como vimos, existe apenas uma opção: ser assimilado pelo lucro. Ele não pode ser distribuído ou remanejado.

Então, se a empresa não possuir lucro suficiente para absorver os prejuízos acumulados, ele deverá ser subtraído das reservas de lucros e, em último caso, das reservas legais da organização.

O importante é que essa dívida que a empresa fez ao longo do exercício seja paga com o saldo positivo que ela tiver. Isso ocorre, pois não faz sentido que ela feche o período no negativo sendo que ela possui dinheiro guardado para quitar esse débito.

Além, claro, de ser uma maneira de órgãos de fiscalização, como a Receita Federal, identificarem a empresa como correta e transparente. A absorção do prejuízo pelo lucro também é obrigatório por lei – Lei nº 6.404/1976 – nas sociedades por ações.

Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA)

A Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA) é um documento que funciona como um mapa dos recursos da empresa.

Isso porque ele mostra a origem dos recursos e como ele foi aplicado ao longo do exercício. Além disso, a DLPA faz parte dos itens que compõem o patrimônio líquido da empresa.

Como a tributação das organizações é baseada no seu lucro, isso faz com que elas precisem repassar uma série de dados e informações para o governo.

Nesse sentido, a DLPA torna-se um documento essencial de ajuste junto à Receita Federal. Ele mostra exatamente o que aconteceu com o lucro da empresa ao longo do exercício – sua destinação – além dos resultados e a real situação patrimonial.

No Brasil, as empresas que são obrigadas a declarar a DLPA à Receita Federal são as sociedades limitadas e as que são tributadas pelo Lucro Real.

A previsão de lucros e prejuízos no orçamento

É essencial conhecer e calcular não apenas os lucros da empresa, mas também os prejuízos.

São eles que irão mostrar de forma real e concreta como está a saúde financeira da organização.

Entender se há mais prejuízos do que lucros, ou o contrário, servirá como uma guia para avaliar melhor o uso dos recursos, os próximos passos e tomar decisões mais acertadas para o futuro do negócio.

Além disso, as informações funcionam como base de comparação para avaliar se os objetivos propostos para a empresa foram ou não atingidos.

Conhecer e calcular corretamente os lucros e prejuízos ajuda a evitar desperdícios, gastos inesperados e diversos fatores que afetam diretamente a rentabilidade do negócio e a saúde da empresa.

Por fim, sinaliza ao mercado se ela é ou não uma boa opção de investimento, o que interessa para os atuais e novos acionistas.

Gostou do nosso conteúdo sobre prejuízos acumulados?

Fique sempre bem informado sobre investimentos aqui no blog da Capital Research. Aproveite para acessar nosso site e descobrir mais sobre como encontrar as melhores oportunidades de investimento de forma gratuita.

Obrigado pela leitura!

Recomendados

Investimentos

Ponto de equilíbrio contábil: o que é e como calcular

O ponto de equilíbrio contábil aponta quando receitas e despesas totais se ...

3 semanas atrás

Investimentos

Confira os 10 melhores fundos imobiliários para investir em 2019

Contamos quais são os melhores fundos imobiliários para investir em 2019, seus ...

2 meses atrás

Investimentos

Bolsa de Valores: o que é, qual sua importância e 5 razões para investir

A Bolsa de Valores pode ser uma maneira de aumentar a rentabilidade dos seus ...

5 meses atrás