Política Monetária: o controle da oferta de dinheiro na economia

Entenda mais sobre esse termo importante no mercado financeiro e saiba o que significa e qual seu impacto na hora de investir

Inflação, PIB, desemprego, consumo de bens e serviços. O que todos esses fatores têm em comum, é que eles são melhorados ou piorados com a política monetária. Ações do tipo têm impactos diretos nos mercados de um país, por meio da oferta de dinheiro na economia.

Centralizada por órgãos do Estado que regem a economia de um país, esse tipo de política incide diretamente sobre todos os aspectos econômicos dele. Mesmo que ela não atinja determinadas áreas, como a fiscal e cambial, sua influência tem sim, um impacto em outros segmentos.

Descubra neste artigo, o que é a política monetária, como ela funciona no Brasil, além de entender a diferença com outros tipos de políticas públicas de áreas econômicas!

O que é a Política Monetária

A política monetária de um país é um modo de controlar a oferta de dinheiro em circulação e, com isso, estimular ou desestimular a economia. Ou seja, todas as medidas adotadas para tais objetivos visam o controle de juros e taxas que incidem sobre a inflação.

Essa medida é definida por um órgão econômico nacional, que baliza todas as ações econômicas, gerando impactos a curto, médio e longo prazos, em todos os setores. De geração de emprego à expansão de consumo, ao aumento do PIB, toda a política monetária traz efeitos macroeconômicos através de suas medidas.

Também, é a partir da política monetária que um país pode superar crises, garantir sua estabilidade economia, entre tantos outros índices que regem sua economia.

Quais são os tipos de Política Monetária e os principais instrumentos

Basicamente, há dois tipos de política monetária, com medidas e objetivos diferentes, que são a política expansiva e a restritiva.

 

Política expansiva

Essa é uma prática adotada quando o país enfrenta situações de crise ou recessão econômica. Ou seja, quando o consumo de bens e serviços precisa ser estimulado para gerar dinheiro ao país.

Uma medida adotada dentro de uma política expansiva, com esse foco, é abaixar as taxas de juros para gerar consumo e crédito ao mercado. Contudo, um dos efeitos colaterais de diminuir essas taxas é o aumento da inflação.

Com mais oferta de juros baixos, aumenta-se a procura por serviços e produtos e, com isso, a oferta também inflaciona proporcionalmente.

 

Política restritiva

Essa medida é adotada quando um país tem que diminuir sua inflação interna. Para isso, a entidade que controla a economia e dita quais medidas serão adotadas, aumenta a taxa de juros.

Com isso, o PIB é diretamente afetado negativamente, pois o consumo é desestimulado com valores mais altos no mercado. Já o outro efeito causado com a queda da produção interna, é a inflação reduzir, devolvendo uma estabilidade inflacionária.

A adoção de uma dessas políticas monetárias exige o uso de um de três instrumentos clássicos da economia monetária: depósito compulsório, redesconto e open market.

 

Depósito compulsório

O depósito compulsório é uma taxa recolhida de todos os bancos, pelo órgão controlador da política monetária. Assim, a instituição controladora aumenta as taxas de bancos e outras companhias, fazendo-as pagar taxas maiores ao órgão central.

Com isso, a economia impacta diretamente no valor dos serviços de bancos e outras companhias afetadas por essa medida. Quando o valor do depósito compulsório aumenta, condiz com uma política restritiva e, quando diminui, expansionista.

 

Redesconto

O redesconto ocorre quando há um empréstimo pela entidade que conduz a política monetária, para os bancos e outras instituições financeiras do país.

Com isso, a organização pode tanto estimular como desestimular a economia do país, cobrando taxas menores ou maiores. Com o empréstimo, os bancos, por sua vez, podem gerar mais crédito e empréstimos aos seus clientes. O que gera mais facilidades e estímulos para alguns serviços, trazendo o crescimento da economia. Por isso, o redesconto é típico de políticas monetárias expansionistas.

 

Open market

Em tradução livre, o mercado aberto é todo aquele meio em que os títulos públicos federais são vendidos para bancos. Dessa maneira, eles podem realizar a venda dos ativos e movimentar a economia.

Esse é um instrumento adotado para gerar estímulos econômicos a curto prazo, pois, no mercado bancário, títulos são vendidos e comprados em alta velocidade. O que garante maior liquidez de cada ativo público.

Na venda de títulos pelo órgão que controla a política monetária, a oferta de moeda é reduzida, o que reflete em uma política restritiva. Já na compra de títulos, o órgão está inserindo moedas na economia, o que gera fluxo econômico e traz a expansão econômica.

A Política Monetária no Brasil

Aqui quem realiza a política monetária é o Banco Central (BC), uma autarquia federal que, por meio de seus órgãos internos define taxas.

O Conselho Monetário Nacional, normatiza as ações do BC. Já o Comitê de Política Monetária do Banco Central (COPOM) é a entidade do Banco Central que define as taxas de juros praticadas pelo Estado.

É conjunto de medidas adotadas por esses órgãos do BC, que a inflação e outros índices são controlados. Aqui, a taxa referencial para o controle da inflação e outros índices, é a SELIC, que é a referência para a taxa básica de juros do Brasil.

A diferença entre Política Monetária, Fiscal e Cambial

Há que se fazer a diferenciação entre com tipos de políticas econômicas, que muitas vezes são motivos de confusão. A política monetária, fiscal e cambial são partes de uma mesma economia, mas com regras e objetivos diferentes.

 

Política monetária

É aquela que rege a taxa básica de juros de um país. Usada para controlar a inflação e outros índices, que estimulam ou desestimulam a economia por meio do consumo de bens e serviços.

 

Política fiscal

A política fiscal é definida para gerir as receitas e gastos do Estado, como também a manutenção dele. O valor proveniente da receita é obtido com o pagamento de impostos pelo contribuinte.

Entre os usos dessa receita estão o pagamento de funcionários, a realização de obras públicas e serviços de frentes nacionais como saúde, educação e infraestrutura.

 

Política cambial

É a política que define as relações de compra e venda de moeda, mais conhecida como câmbio. Também, e a política cambial é que define as taxas e valores de referência para operações financeiras.

Por meio de medidas de política cambial, é possível evitar ou causar altas variações nas taxas de câmbio. Respectivamente essas ações evitam ou aumentam a desvalorização da moeda nacional.

Dentro de toda a política monetária, há diversas variáveis que definem se um caminho expansionista ou restritivo será adotado. E tais ações dependem de medidas que funcionam para aumentar ou diminuir a oferta de dinheiro na economia.

Aprenda sobre o Mercado Financeiro e Política Monetária com a Capital Research 

Entender como funcionam esses instrumentos que guiam o cenário macroeconômico de um país, é fundamental para garantir ações assertivas quando se pretende investir. Seja montando o seu negócio ou fazendo opções de investimentos, a política monetária está sempre exercendo sua influência.

Assine a newsletter da Capital Research e aprenda tudo sobre o mercado financeiro, para fazer ótimos investimentos!

Recomendados

Investimentos

Mercado Monetário: como funciona e como é a atuação do BC

O mercado monetário é diferente do mercado de capitais. Entenda as características ...

8 meses atrás

Investimentos

O Mercado Monetário e sua função nas operações de curto prazo

Entenda como o mercado monetário funciona e saiba como otimizar seus investimentos e ...

8 meses atrás

Investimentos

O que é LCI? Qual a diferença desse título?

Conheça as principais caracteristicas da LCI (Letras de Crédito Imobiliário). ...

11 meses atrás