Previdência privada: Vale a pena investir? Quais as vantagens?

Confira dicas para saber se investir em previdência privada vale a pena. Saiba o que analisar e como definir o valor do investimento.

Com a aprovação da Reforma da Previdência, investir em uma previdência privada se tornou uma alternativa para quem deseja obter uma reserva financeira a longo prazo, pensando na qualidade de vida no futuro. 

A previdência privada é uma modalidade de investimento que possibilita ao investidor aplicar uma contribuição mensal e resgatar após um período.

Ela serve para complementar a aposentadoria por meio de uma renda mensal ou até mesmo de forma integral para atingir objetivos de longo prazo.

Continue a leitura deste artigo para entender o que é a previdência privada e como avaliar se vale a pena investir nessa modalidade de investimento.

O que é previdência privada?

A previdência privada é uma modalidade de aplicação financeira que funciona de forma complementar à previdência social ou para garantir aposentadoria para quem não contribui para o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS).

Como funciona uma previdência privada?

Na previdência privada, o contribuinte escolhe o plano adequado à sua realidade e passa a realizar aportes mensais no valor e periodicidade que for mais conveniente.

Ao final do prazo pré-estabelecido, o investidor pode efetuar o resgate do montante que foi aportado, juntamente com os rendimentos obtidos proporcional ao período e na quantidade do valor investido.

Vale ressaltar que o valor investido na previdência privada pode ser resgatado antes do prazo estabelecido, em caso de desistência por parte do investidor.

Nesse caso, será descontado o imposto de renda sobre o valor total investido ou sobre o rendimento, dependendo do tipo de plano de previdência privada contratado.  

Existem planos em que há a opção de programar débito automático na conta corrente ou mesmo realizar o desconto direto em folha de pagamento, caso ele opte por um plano de previdência empresarial, por exemplo. 

Tipos de previdência privada

Existem dois tipos de planos de previdência privada que são oferecidas pelas seguradoras através de instituições financeiras e corretoras de seguro: o “Vida Gerador de Benefício Livre” (VGBL) e o “Plano Gerador de Benefício Livre” (PGBL). 

O Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) é recomendado para quem declara IR no modelo completo, pois permite fazer abatimento da base de cálculo do imposto até 12% da renda bruta anual tributável (salário, renda de aluguéis e etc).

No entanto, para ter esses benefícios, o investidor deve contribuir também para a previdência social.

Já o Plano Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL), é indicado para quem opta pela declaração simplificada do imposto de renda e faz uso do desconto de 20%.

Não há dedução fiscal no período de aplicação no VGBL, porém, no resgate ou transformação no valor acumulado em renda, o imposto incide sobre o ganho de capital. 

Vale a pena investir em previdência privada?

Se você deseja investir em um plano de previdência privada, mas ainda não está seguro se vale a pena investir nessa modalidade, listamos abaixo as principais vantagens de uma previdência privada: 

  • Portabilidade: A portabilidade permite que, após o cumprimento dos prazos de carência do plano, o titular pode realocar seus investimentos, sem a necessidade de realização de resgates e consequentemente pagamento de IR.
  • Sucessão Patrimonial: Em caso de falecimento do titular do plano, a sucessão é simplificada, pois o contratante tem a opção de definir previamente os percentuais de distribuição do plano para cada um dos beneficiários de sua escolha. Além disso, o patrimônio deve ser transferido aos beneficiários em até 30 dias, sem custos advocatícios na transferência.
  • Ausência de Come-Cotas: Fundos de previdência são isentos da cobrança do come-cotas (pagamento antecipado de IR cobrado sobre o Ganho de Capital dos fundos de investimento). A tributação ocorre somente em casos de resgates da reserva ou pagamento de renda e conforme plano e tributação anteriormente escolhida pelo investidor.

 

Como contratar uma previdência privada

Antes de contratar um plano de previdência privada, é importante observar as taxas cobradas. Existem dois custos associados: a taxa de administração do fundo e a taxa de carregamento.

A taxa de carregamento é cobrada a cada aporte realizado e a taxa de administração é um percentual anual aplicado sobre o patrimônio mantido na carteira.

Por isso, é importante analisar com cautela os custos envolvidos na hora de escolher o plano de previdência privada. Isso porque, taxas elevadas podem impactar negativamente na rentabilidade do investimento.

O ideal é fazer uma simulação para saber o quanto se pode investir e qual a opção de plano de previdência privada é mais adequada para seu perfil de investidor. Aqui, sugerimos o uso de uma calculadora da previdência, ferramenta que ajuda a avaliar qual é a melhor opção de plano de previdência privada levando em consideração gênero, tempo de contribuição e o tipo de ocupação. 

Recomendados

Investimentos

Como a Reforma da Previdência pode afetar seus investimentos

Saiba como mudanças relacionadas à reforma podem afetar determinados ...

1 ano atrás

Investimentos

Quanto ter na reserva de emergência? Confira aqui!

Na hora de um imprevisto, é importante estar preparado! Entenda a reserva de ...

2 anos atrás

Investimentos

INSS ou Previdência Privada: qual opção vale mais a pena?

Confira tudo o que você precisa saber sobre INSS e previdência privada e como ...

1 ano atrás