Private Equity: o que é e como funcionam esses fundos

Entenda mais sobre esse tipo de investimento e como está se tornando uma tendência entre os investidores atuais

Investimentos Private Equity

No mundo dos negócios, os investidores estão sempre em busca de oportunidades – e as empresas emergentes são alvos potenciais.

Aplicar recursos em companhias que apresentam fortes tendências de crescimento e tornar-se parte do negócio é a razão dos fundos de Private Equity (PE), uma alternativa em alta no mercado.

Acompanhar a evolução de um empreendimento e poder lucrar com ele é uma boa opção para quem quer ter um bom retorno financeiro.

Nesse artigo, vamos explicar quais as vantagens desse fundo e suas principais diferenças.

Acompanhe!

O que é Private Equity?

Criados nos Estados Unidos na década de 1980, os fundos Private Equity são uma modalidade de investimento no qual uma gestora adquire parte de uma outra empresa em crescimento.

O objetivo é tornar-se sócia no negócio e alavancar o valor da companhia, por meio de seu ingresso na bolsa de valores, onde o investidor acaba participando ativamente da administração e da gestão da companhia.

Como as ações não estão na bolsa, o investimento é feito de forma privada, o que justifica o nome do fundo.

O lucro desse fundo é resultante das negociações posteriores das ações da empresa da qual a gestora investiu capital e contribuiu para seu crescimento.

Os papéis das empresas “turbinadas” acabam sendo vendidos por valores bem mais elevados.

Em geral, as empresas visadas são aquelas que já possuem um faturamento razoável, possuem um porte médio e tenham uma capacidade de crescer, mediante a injeção de recursos.

Normalmente, essa verba oriunda dos investidores chega antes de a empresa passar a negociar seus papéis em bolsa de valores, onde podem ser vendidas ou compradas em condições mais atraentes.

No que o Private Equity se diferencia como investimento?

A maior diferença dos fundos Private Equity para outros tipos de investimento está no seu risco menor com relação ao seu principal concorrente – os fundos Venture Capital (VC).  

No caso do PE, o investimento é alocado em uma empresa que já possui um faturamento considerável e um mercado consolidado.

Assim, a intenção é potencializar ainda mais as companhias, fazendo com que elas avancem de patamar e cheguem à bolsa de valores.

No caso dos investimentos de Venture Capital, o risco é maior, pois a verba é aplicada em empresas – startups, pequenas ou médias – que ainda estão ganhando mercado e apostando em novos produtos, porém, com alto potencial de crescimento.

Outra diferença ocorre na fase em que a empresa se encontra.

Enquanto o Private Equity tem foco na consolidação e pré-mercado, o Venture Capital ocorre no desenvolvimento da própria companhia e seus produtos.

Tanto um quanto o outro são equipamentos fundamentais para alavancar o desenvolvimento econômico do país.

Além de agregar valor às empresas, esses fundos têm foco no aumento da produtividade e da eficiência, o que aumenta a competitividade e, como consequência, da relevância das próprias companhias.

Fundos de Private Equity: como funcionam?

Em primeiro lugar, há o contato da empresa que deseja fazer o aporte financeiro com o(s) sócio(s) da companhia.

A partir disso, ocorre a análise das características da empresa, seu produto principal e as possibilidades de crescimento.

Logo após, vem a avaliação do valor da companhia.

Essa definição é importante, pois irá permitir o acordo final entre as duas interessadas.

Desse acordo será firmado um contrato de investimentos com a financiadora, os sócios e os acionistas da companhia-alvo.

A partir desse momento, a empresa que investiu o valor passa a acompanhar e também participar da gestão do negócio, aplicando correções para ajustá-la ao mercado e, com isso, valorizá-la ainda mais.

A última etapa é do retorno do investimento: o fundo negocia as ações (ou outros títulos) da empresa investida, retornando valores aos cotistas.

O que saber sobre Private Equity antes de investir

Apesar do crescimento dessa modalidade de investimento, há sempre o risco inerente.

Os principais pontos de atenção dizem respeito a situações que podem ocorrer em qualquer companhia: a separação dos sócios originais, a perda do controle da empresa, o aumento da burocracia na prestação de contas ao fundo investidor e o próprio tempo necessário para o retorno do investimento inicial.

Os fundos de private equity permite que o investidor se torne integrante da empresa ou do negócio-alvo e façam parte da sua história.

É para quem deseja se arriscar, mas com uma boa possibilidade de ganho futuro.

Com base nessas informações, você deve avaliar se vale a pena ou não investir nesse tipo de fundo.

A equipe da Capital Research é qualificada e pode lhe mostrar qual a melhor opção de investimento no mercado financeiro.

Aproveite para acessar o site da Capital e descobrir mais sobre como encontrar as melhores oportunidades de investimento de forma gratuita.

Obrigado pela leitura!

Recomendados

Investimentos

Bolsa de Valores: o que é, qual sua importância e 5 razões para investir

A Bolsa de Valores pode ser uma maneira de aumentar a rentabilidade dos seus ...

2 anos atrás

Investimentos

CDB e CDI: conheça as diferenças antes de investir

Entenda melhor sobre esses dois tipos de certificado de depósito e como se ...

2 anos atrás

Investimentos

Conselho Monetário Nacional: o que é e qual é sua importância?

Entenda o que é e como funciona o Conselho Monetário Nacional ...

2 anos atrás