Tudo sobre a Selic: histórico, evolução e efeitos na economia

Conhecer o histórico da Selic ajuda a entender seu comportamento e impactos na economia do país. Confira nosso guia.

Acompanhar o histórico da Selic, é importante para entender mais sobre a taxa. Assim, observar suas oscilações ao longo dos anos ajuda a compreender políticas monetárias e econômicas.

Além disso, analisar os números da taxa básica de juros pelo tempo traz boas reflexões para investidores. Então, acompanhe com a gente, neste artigo, e veja o comportamento da Selic em seu histórico.

Selic: histórico e evolução da taxa

Todo brasileiro, sendo ou não investidor, deveria entender um pouco mais sobre a Selic. O Sistema Especial de Liquidação e de Custódia é um mecanismo utilizado pelo Copom (Comitê de Políticas Monetárias) para direcionar a economia.

Assim, a meta da taxa Selic é definida em reuniões periódicas realizadas pelo comitê. Juntamente a isso, a Selic Over é praticada nos mercados, impulsionando ou contraindo a economia.

De maneira geral, podemos dizer que a Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira. Ou seja, todas as demais alíquotas praticadas por bancos, credores e instituições financeiras partem da Selic.

No site do Banco Central (Bacen), é possível acessar todo o histórico da Selic. Desde 1996, o órgão publica o número e data da reunião do Copom, período de vigência para a meta, a meta propriamente dita, bem como as taxas efetivamente realizadas.

Confira, assim, o resultado das mais recentes decisões monetárias:

Reunião

Data

Vigência

Meta Selic

Selic acumulada

Selic Over*

229º

18/03/2020

19/03/2020 –

3,75% a.a.

228º

05/02/2020

06/02/2020 – 18/03/2020

4,25% a.a.

0,45

4,15% a.a

227º

11/12/2019

12/12/2019 – 05/02/2020

4,50% a.a.

0,65

4,40% a.a

226º

30/10/2019

31/10/2019 – 11/12/2019

5,00% a.a.

0,55

4,90% a.a

225º

18/09/2019

19/09/2019 – 30/10/2019

5,50% a.a.

0,63

5,40% a.a

224º

31/07/2019

01/08/2019 – 18/09/2019

6,00% a.a

0,80

5,90% a.a

*Taxa média diária de juros, anualizada com base em 252 dias úteis

O que o histórico da Selic ensina?

Historicamente, a Selic está em seu patamar mais baixo. No fim dos anos 1990, por exemplo, ela chegou a alcançar a meta de 45% ao ano.

Ao longo da década seguinte, a taxa de juros foi caindo gradativamente. No entanto, se manteve em dois dígitos até o fim de 2009. Entre 2010 e 2017, ela ficou entre 7% e 14,25% a.a.. Desde então, a Selic só vem caindo e alcançou a sua meta mais baixa – de 3,75% ao ano.

Mas o que esses números têm a nos dizer?

Como vimos, a Selic é utilizada para direcionar a economia. Quando a taxa de juros está alta, o crédito fica caro no mercado. Isso acontece porque os bancos e credores baseiam o preço dos seus empréstimos e produtos na taxa Selic. Portanto, se ela está alta, o crédito também é caro.

Com o alto custo do crédito, pessoas e empresas são mais resistentes ao seu consumo. Assim, a tendência é que a economia seja desaquecida.

O caminho inverso também acontece. Em momentos em que a Selic está baixa – como atualmente – o crédito fica mais barato. Dessa forma, o consumo é estimulado e, a economia, tende a ser aquecida.

Outro ponto que a gente deve observar é o estímulo que a Selic oferece aos investidores. Várias aplicações são indexadas à taxa. Além disso, a remuneração de outros ativos – mesmo que não diretamente vinculados à alíquota – também é impactada pelas altas e baixas no histórico da Selic.

Futuro da Selic: projeções do mercado

O Banco Central realiza projeções para a taxa Selic periodicamente através do relatório Focus. Segundo a publicação de abril, a expectativa é que a taxa básica de juros permaneça em baixa até o fim de 2020. 

Ainda de acordo com os dados, a meta da Selic será de:

  • 2021: 4% a.a.
  • 2022: 6% a.a.
  • 2023: 6% a.a.

Apesar de ser muito assertivo, vale observar que o relatório Focus é uma projeção realizada pelo Banco Central. Além disso, a análise pode ser alterada a cada nova publicação. Mas, no geral, você pode ver que há uma expectativa de aumento da taxa Selic para os próximos anos.

Como a Selic afeta a sua vida

De forma bem simplificada e objetiva, podemos definir o impacto da Selic na nossa vida da seguinte forma:

Taxa Selic alta:

  • Crédito caro
  • Desestímulo ao consumo
  • Incentivo à poupança
  • Investimento em renda fixa mais atrativo.

Taxa Selic baixa:

  • Crédito barato
  • Estímulo ao consumo
  • Mais dinheiro circulando no mercado
  • Investimento em renda variável mais atrativo.

 

Taxa Selic nos investimentos

Algumas aplicações financeiras em renda fixa são indexadas à taxa Selic. É o caso do Tesouro Direto Selic e da caderneta de poupança. Assim, esses investimentos remuneram seus investidores com alíquotas diretamente ligadas à taxa.

Contudo, como ela é a taxa básica de juros do mercado, todas as outras remunerações tendem a ser baseadas nas oscilações da Selic. Portanto, é sempre importante conferir a definição da Selic Meta pelo Copom e do seu comportamento prático – a Selic Over.

Conte com a Capital Research para se manter atualizado e informado, com as melhores dicas e recomendações para seus investimentos.

Recomendados

Investimentos

SELIC: guia completo sobre a taxa básica de juros da economia brasileira

Aprenda tudo sobre a taxa SELIC, quanto vale atualmente e porque você deve te-la ...

1 ano atrás

Investimentos

LFT: quer saber tudo e se vale a pena investir?

Conhecida hoje como Tesouro Selic, a LFT (Letra Financeira do Tesouro) é um título ...

1 ano atrás

Investimentos

Copom: Veja os temas da última reunião e como eles impactam seus investimentos

Com Selic em baixa é preciso uma mudança na forma de investir para continuar tendo ...

1 ano atrás