WACC: entenda o custo médio ponderado do capital

WACC é um instrumento de gestão financeira que revela muito sobre a saúde de uma empresa. Descubra mais sobre ele neste guia

o-que-e-wacc

O WACC é um dos índices utilizados no mercado para assegurar o retorno de um investimento. E essa, sem dúvida, é preocupação comum a todo aquele que realiza aplicações financeiras.

Como você sabe, um investidor jamais coloca dinheiro onde identifica que não vai ter rentabilidade. Com o WACC, ele conta com um indicador minimamente confiável sobre quanto o capital investido em uma empresa deverá gerar de lucro, servindo assim como um parâmetro.

O valor referido pelo chamado Custo Médio Ponderado de Capital determina, ainda, que percentual do capital da empresa está comprometido com o pagamento de credores. Dessa forma, atua como uma espécie de balizador, no sentido de evitar o endividamento.

Ele considera, ainda, a participação de investidores e o Valor Econômico Agregado (EVA) a ser gerado. Ou seja, o retorno pelo investimento, que é contabilizado como custo.

Parece complexo demais para você?

Pois a ideia deste artigo é justamente tornar mais simples a compreensão do WACC, esse importante indicador financeiro.

Vamos conhecê-lo melhor!

O que é WACC – Weighted Average Cost of Capital?

No jargão econômico, o WACC (Weighted Average Cost of Capital) nada mais é do que uma média ponderada.

Isso significa que o valor extraído pelo seu cálculo reflete o peso que cada um de seus elementos representa no financiamento de uma empresa.

Vale destacar que o WACC é um dos indicadores a serem aferidos por empreendimentos em fase de implementação e que estejam em busca de capital de terceiros.    

Isso porque, no seu cálculo, é ponderado o custo do capital para a formação de um negócio, incluindo o de sócios, de instituições financeiras e o capital próprio.

Nada mais justo, afinal, toda empresa que dá seus primeiros passos enfrenta riscos e ameaças.

Dessa forma, os investidores precisam ter alguma margem de segurança sobre o retorno gerado pelo capital investido, certo?

Por isso é tão importante aferir o custo médio ponderado do capital, que serve para definir o quanto um investimento deve gerar de lucro tomando como referência o período de um ano.

Para que o WACC serve?

Não é difícil perceber que o WACC serve, fundamentalmente, como um índice para medir o quanto um investimento oferece de retorno. Nesse aspecto, ele também contribui para medir o custo de uma oportunidade.

Logo, o WACC é útil para medir o potencial de uma empresa de gerar spread econômico positivo, que consiste na diferença entre o Retorno Sobre Investimento (ROI) e o próprio WACC. Portanto, ele deve ser sempre inferior ao ROI, gerando assim o já destacado EVA.

Considerando o exposto, fica claro que o custo médio ponderado do capital deve ser aplicado em contextos e situações bem específicas.

Uma startup que deseja atrair investidores-anjo, por exemplo, pode e deve se valer do WACC como um fator de atração.

Nesse sentido, é importante perceber também que, quanto menos depender de dinheiro de terceiros, menor será esse índice.

Assim sendo, a segurança por parte de possíveis investidores será maior quanto mais capital próprio compor o patrimônio da empresa em sua fase inicial.

Como calcular o WACC

Importa destacar que o WACC é um reflexo do risco que uma empresa oferece aos investidores externos.

A relação é proporcionalmente direta, ou seja, quanto mais arriscado, maior será o retorno exigido e, assim, maior o WACC.

Vamos imaginar, então, que uma empresa avalia que o capital total para ser aberta é de R$ 400 mil.

Nesse caso, temos três possibilidades de formação de capital inicial:

  • Dos próprio dos fundadores
  • De sócios atraídos no mercado
  • De instituições financeiras (bancos).

Na primeira tentativa, uma solicitação junto ao banco permitiu levantar o valor de R$ 80 mil, que representa 20% do valor necessário para abrir o negócio.

Sobre esse valor, a instituição cobra juros de 12% a.a., o que significa que deverá ser pago de juros um total de R$ 9,6 mil.

Por sua vez, os sócios da nova empresa estipulam um retorno de 16% sobre o valor investido, que no caso será de R$ 320 mil.

Sendo assim, eles deverão receber, na forma de distribuição de lucros/dividendos, um total de R$ 51,2 mil.

Logo, a nova empresa pagará, por ano, um total de R$ 60,8 mil (9,6 + 51,2), que representa um custo de capital de 15,2%.

Todo esse cálculo pode ser feito aplicando a fórmula do WACC:

WACC = Ke x We + Kd x Wd, na qual:

  • Ke = custo do capital próprio
  • Kd = custo do capital de terceiros
  • We = percentual de capital próprio na estrutura de capital
  • Wd = percentual de capital de terceiros na estrutura de capital.

Logo:

  • WACC = 16 x 80 + 12 x 20 = 15,2%.

Nesse cálculo, podem ser também deduzidos eventuais abatimentos no Imposto de Renda (IR), aplicáveis sobre valores tomados como empréstimo, caso a empresa seja tributada pelo regime Lucro Real.

No entanto, o Weighted Average Cost of Capital, por ser mais indicado para empresas tributadas pelo Simples, será sempre calculado sem considerar o IR.

Então, ficou alguma dúvida ou agora o conceito e a aplicação do WACC estão 100% claros para você? Deixe seu comentário!

Aqui no blog da Capital Research você fica por dentro dos principais termos e indicadores econômicos de forma simples e descomplicada.

Aproveite para acessar nosso site e descobrir mais sobre como encontrar as melhores oportunidades de investimento de forma gratuita.

Obrigado pela leitura!

Recomendados

Investimentos

Análise de custos: o que é, para que serve e como fazer

Entenda a importância, quais os métodos mais utilizados e de que forma a análise ...

2 anos atrás

Investimentos

Cash & carry: conheça detalhes sobre essa estratégia

Entenda mais sobre essa estratégia de arbitragem na qual o investidor é, ao mesmo ...

2 anos atrás

Investimentos

Confira aqui uma fórmula de juros para ajudar você a conhecer melhor seu empréstimo

Entenda como calcular juros simples e juros compostos e aprenda uma fórmula que ...

2 anos atrás