Renda Fixa

Vale a pena aplicar no CDB do PagBank?

Samuel Torres, CFA10/11/2020

No final de julho, o PagBank passou a oferecer a seus clientes seu CDB como modalidade de investimento.

São várias opções, que pagam até 170% do CDI, o que acabou chamando a atenção de muita gente.

Sendo assim, vim por meio do relatório de hoje falar um pouco sobre o PagBank e dar minha opinião quanto a se vale a pena ou não aplicar nesses CDBs.

O PagBank nada mais é que o banco digital do grupo PagSeguro. Ele oferece uma série de serviços e produtos financeiros, como cartão de crédito e pré-pago, transferências, pagamento de boletos, eWallet, saques, empréstimos, investimentos, entre outros.

Sendo um braço do PagSeguro, para entender o risco de se aplicar no CDB do PagBank, na minha opinião, é preciso entender a solidez financeiro do PagSeguro.

Pois bem, vamos lá.

A PagSeguro é uma empresa controlada pelo UOL, a companhia de conteúdo online. Essa, apesar de ter menos de 50% do total de ações, detém o controle, uma vez que suas ações Classe B conferem 10 vezes mais votos que as ações classe A.

Originalmente, a PagSeguro era uma plataforma de pagamentos online, que utilizava da credibilidade de sua empresa mãe para conferir segurança aos pagamentos virtuais, muito importante para pequenos e-commerces ainda sem “nome” no mercado.

Mas foi a partir de 2013 que a companhia começou a ficar realmente conhecida, quando entrou no segmento de adquirência, posteriormente lançando a famosa Moderninha e batendo de frente com as então gigantes do setor Cielo e Rede.

Esse movimento acabou sendo o início da disrupção do mercado de adquirência, que contou com outros entrantes de peso, como a Stone.

Hoje, após período de forte crescimento, e feito seu IPO na New York Stock Exchange, a PagSeguro vale mais de 10 vezes a Cielo, com market cap de US$ 12,7 bilhões, contra US$ 1,8 bi.

E o PagBank tem papel central nessa estratégia. A unidade de negócio foi lançada no segundo trimestre de 2019 e já alcançou 4,9 milhões de usuários em junho de 2020.

 

Diferente dos demais bancos digitais, o PagBank não foca apenas em clientes pessoa física. Na verdade, como no segmento PJ boa parte dos clientes são micro empreendedores, o banco digital acaba atendendo-os na pessoa física e na pessoa jurídica, pois, segundo a companhia, muitos acabam não separando o negócio da vida pessoal e utilizam apenas uma conta. Com isso, o combo PagSeguro/PagBank acaba se tornando especialmente atrativo, impulsionando o crescimento da PagSeguro.

 

Esse forte crescimento possibilita à PagSeguro não apenas ganho de market share (no primeiro semestre de 2020, por exemplo, a PagSeguro cresceu 20%, contra cerca de 3,5% do mercado), mas também de margens. Apesar de o PagBank ainda ser uma relativamente jovem e provavelmente ainda não lucrativo por si só (a companhia divulga poucas informações financeira do PagBank), a PagSeguro é uma empresa lucrativa e geradora de caixa.

 

Além disso, a empresa basicamente não tem dívida, sendo caixa líquido e tendo baixa alavancagem. Tudo que um credor pode querer.

Contudo, apesar de a PagSeguro ser uma empresa saudável financeiramente, não quer dizer que não há riscos.

Ambos seus mercados de atuação, adquirência e banco digital, são extremamente competitivos, de maneira que a rentabilidade atual pode não se sustentar no futuro.

Nos últimos anos, o aumento da competição no mercado de adquirência, em parte em decorrência da própria entrada da PagSeguro, levou a uma relevante redução de preços e rentabilidade. A Cielo, por exemplo, que era uma das duas líderes do setor, altamente lucrativa e geradora de caixa, viu suas margens despencarem, chegando a apresentar prejuízo no último trimestre, algo anteriormente inimaginável para a companhia.

Concluindo, apesar da solidez financeira do PagSeguro, existem sim riscos, principalmente relacionados à competição setorial. Mas considerando que os CDBs com carência para resgate mais longos são de apenas 1 ano, considero o risco relativamente baixo.

Mas antes de aplicar o seu dinheiro, é preciso comparar com outras opções disponíveis de risco similar.

O CDB do PagBank com liquidez diária paga 100% do CDI. Todavia, é possível encontrar CDB de liquidez diária e mesma aplicação mínima pagando maior rentabilidade BTG Pactual. Se você quiser aplicar a partir de R$ 1.000, é possível encontrar CDB de maior taxa também no Banco ABC e no Daycoval. Todos os três considero bancos menos arriscados que o PagBank, de maneira que não vejo vantagem de aplicar no PagBank nesse caso.

Se for aplicar com vencimento em 60 dias, no BTG Pactual há CDB de maior taxa, porém a aplicação mínima é de R$ 1.000, maior que do PagBank.

Quando olhamos vencimento em 90 dias, é possível encontrar nesses três bancos LCIs/LCAs que pagam o equivalente a um CDB de até 138% do CDI (as LCIs/LCAs são isentas de IR para pessoa física, por isso o cálculo dessa taxa equivalente), ou seja, mais que o CDB do PagBank.

Pulando para o prazo de 1 ano, existe um CDB do BTG Pactual que paga 150% do CDI com investimento mínimo de R$ 2 mil, de maneira que o PagBank só se torna mais vantajoso em termos de rentabilidade caso você pretenda aplicar mais de R$ 10 mil e, ainda assim, em termos de retorno vs. risco, é discutível se há vantagem de aplicar no PagBank.

Disclaimer

Aviso legal

A presente publicação visa única e exclusivamente informar os leitores dos temas apresentados e divulgar as atividades da Capital Research, portanto não deve sob qualquer hipótese ser compreendida como oferta de negociação de títulos, valores mobiliários ou quaisquer outros instrumentos financeiros.

Determinados conteúdos produzidos pela equipe da Capital Research podem constituir "Relatório de Análise", conforme definido no artigo 1º § 1º da Instrução CVM 598/2018. Quando da emissão destes Relatórios, os Analistas de Valores Mobiliários responsáveis pela referida emissão e autores dos conteúdos publicados, declaram expressamente que as recomendações de títulos e valores mobiliários apresentadas constituem estritamente suas opiniões pessoais, elaboradas de forma totalmente independente e autônoma, declarando-se ainda responsáveis pelo cumprimento das obrigações dispostas no Art. 20 da referida Instrução.

As informações apresentadas nos relatórios foram baseadas em fontes públicas e consideradas confiáveis na data de publicação, e estão sujeitas a mudanças, não implicando necessariamente na obrigação de qualquer comunicação pela Capital Research e/ou analistas em relação a tais mudanças.

Os analistas poderão esclarecer dúvidas de seus leitores através de relatórios ou vídeos que serão enviados simultaneamente a estes, sendo sempre mantida e garantinda a isonomia de informações.

Ressaltamos que as decisões de investimentos devem ser realizadas pelo próprio leitor sob sua total e exclusiva responsabilidade. Os resultados e estatísticas anteriores NÃO devem ser interpretados como garantias de ganhos futuros, sendo que de nenhuma forma a Capital Research e seus analistas, expressamente ou implicitamente, garantem algum desempenho ou a ocorrência de ganhos.

Alguns instrumentos de investimentos podem não ser adequados para todos os leitores, uma vez que os relatórios emitidos pela Capital Research, não levam em conta a situação específica e individualizada de cada um, devendo a decisão final sobre a realização ou não do investimento, ser tomada exclusivamente pelo leitor.

A Capital Research poderá alterar o presente aviso legal sob seus próprios critérios, sem que isto implique em necessidade de qualquer comunicação prévia ao leitor.

“Os analistas de valores mobiliários autores do presente conteúdo declaram, nos termos da Instrução CVM nº 598/2018, que as recomendações de títulos e valores mobiliários apresentadas constituem opiniões pessoais, elaboradas de forma totalmente independente e autônoma. Sob tal circunstância, ainda, os respectivos analistas se declaram responsáveis pelo cumprimento das obrigações dispostas no Art. 20 da referida Instrução.”