Como investir em ações

Veja como comprar e vender ações na corretora de sua preferência

Passo a passo

  • Da maneira mais direta possível, ações são pedaços de uma empresa. Elas também podem ser chamadas de papéis ou títulos, sempre em referência ao “certificado” de que aquela pessoa é dona daquela fração da respectiva empresa, mas todos os termos têm o mesmo significado.

    Na prática, quando um investidor torna-se acionista de uma empresa, ele está emprestando seu dinheiro para aquela corporação. Dessa forma, enquanto a companhia consegue obter recursos de maneira mais direta e a um custo menor do que um empréstimo junto a um banco, por exemplo, o acionista empresta o dinheiro esperando obter um retorno.

    Esse retorno pode ser obtido de várias formas, além do investidor ganhar direito a receber parte dos lucros por meio dos dividendos ou juros sobre capital próprio, ele também pode ganhar com a valorização dos papéis, ou seja, obtendo um lucro na diferença entre o preço que ele pagou para comprar e o valor pelo qual ele conseguiu vender a mesma ação.

    Mas o que nem todos sabem é que existem outros direitos reservados ao acionista de uma companhia que podem variar desde o direito a voto nas assembleias até um percentual maior no valor distribuído em dividendos, por exemplo. Isso, no entanto, depende do tipo de ação que foi adquirido.

    Tipos de ação

    Embora as ações sejam classificadas dentro da bolsa de valores como Ordinárias (ON), Preferenciais (PN) ou Units, é importante saber que, na verdade, só existem dois tipos de ação.

    As ações preferenciais (PN) são ações que concedem uma preferência no pagamento de lucros da empresa para o acionista. Isso significa que, sempre que a empresa pagar dividendos, ou seja, parcelas de lucro distribuídas aos acionistas, dará prioridade aos de papéis PN.

    No entanto, as ações preferenciais não concedem direito de voto (salvo exceções) e também não beneficiam o acionista com uma participação no prêmio de controle em caso de venda. Essas são prerrogativas das ações ordinárias (ON).

    Neste caso, além de poder votar em assembleias e ter uma participação mais direta nos rumos das companhia, os detentores de ações ordinárias estão protegidos pela Lei das Sociedades Anônimas que assegura que cada um receba no mínimo 80% do valor pago ao controlador pelos papéis no caso de venda da companhia.

    Por último, as ações Units nada mais são do que uma cesta composta por ações ordinárias e preferenciais. Portanto, quando um investidor compra uma ação do tipo Unit, na verdade, ele está adquirindo um conjunto de papéis que lhe garantirá os mesmos direitos e deveres das ações ON e PN, na exata proporção da composição daquela Unit.

    Dessa maneira, as Units oferecem como vantagem uma certa diversificação de ativos sem a necessidade de pagar duas vezes para adquirir ações ordinárias e preferenciais. No entanto, essas ações tendem a ser mais caras, já que representam uma fração maior da respectiva empresa e, consequentemente, podem apresentar liquidez mais baixa, ou seja, serem mais difíceis de comprar e vender.

    Dito isso, é importante saber reconhecer o tipo de ação que você está comprando. Como você já sabe, cada empresa possui um código pelo qual é representada na bolsa, chamado de ticker. Ele é composto por quatro letras que remetem ao nome da companhia e um número que vem na sequência e que representa justamente o tipo de ação.

    As ações ordinárias são representadas por tickers com final 3. As ações preferenciais por tickers com finais que variam de 4 a 8, e as Units são negociadas com tickers de final 11. Dessa forma, é possível que uma mesma empresa possua mais de um tipo de ticker. É o caso da Petrobras que possui o código PETR3, para as ações ordinárias, e PETR4 para ações preferenciais.

  • Existem duas formas de investir em ações com as nossas recomendações.

    A primeira você encontra na Carteira Capital. Ela foi montada priorizando a facilidade de acompanhamento e a diversificação que traz segurança para quem está investindo, além de ser pensada para funcionar sempre como um investimento de longo prazo. Dessa forma, nós recomendamos dois ETFs (sigla em inglês para Exchange Traded Funds), espécies de fundos de investimentos que, na grande maioria das vezes, replicam índices do mercado. 

    No nosso caso, os dois ETFs recomendados são o BOVA11, que replica o Índice Bovespa, principal índice da bolsa brasileira, e o IVVB11, que replica o índice ISP500, índice que reúne as 500 principais empresas norte-americanas.

    Carteira Capital

    A segunda maneira de investir em ações seguindo as nossas recomendações é por meio da nossa Carteira de Ações. Nela sugerimos 10 ações que tem o objetivo de superar a rentabilidade do Ibovespa que citamos acima. Para tanto, aceitamos correr um risco um pouco superior à alocação de ações indicadas na Carteira Capital. Isso porque, aqui, a concentração do portifólio é maior, ou seja, enquanto o Índice Bovespa reúne cerca de 70 ações, na nossa carteira recomendamos apenas 10 que, acreditamos, renderão mais no mesmo horizonte de longo prazo.

    Aqui, vale uma ressalva. Nós recomendamos que o investidor coloque apenas 15% do total da sua carteira de investimentos em ações. Dessa forma, montamos a Carteira Capital de maneira modular, ou seja, você pode substituir as recomendações sobre ações contidas nela pela nossa carteira de ações, mantendo os mesmos 15% investidos nesse tipo de ativo, mas agora divididos entre as 10 ações que nós acreditamos, juntas, serem capazes de bater o Ibovespa.

    Nesse caso, basta seguir os passos:

    Ao visualizar o nosso relatório, na primeira coluna você encontrará a lista de empresas representadas por seus respectivos logos, nomes e ticker. Na hora de aplicar, certifique-se de que escolheu o ticker correto porque, como mencionamos acima, algumas empresas possuem mais de um tipo de ação disponível na bolsa.

    Coluna de nomes da carteira de ações

    Na coluna do meio, você encontrará o setor no qual a empresa listada opera. Essa informação não tem efeito prático nenhum para o investidor, mas é bom para ter uma noção da diversificação com a qual a carteira foi pensada, buscando reduzir o risco de ficar dependente de um único setor da economia.

    Coluna do meio: setores das ações recomendadas

    Já na terceira coluna estarão listadas as alocações de cada ativo, ou seja, quantos porcento do seu dinheiro você deve investir em cada uma dessas empresas.

    Coluna da direita: alocação recomendada da carteira de ações

    Para ficar mais claro, suponha que você deseja seguir nossa recomendação e investir 15% do seu dinheiro em ações. E que esse montante destinado a ações seja de R$ 10 mil. Neste caso, se o percentual indicado para uma empresa for de 5%, recomendamos que você invista R$ 500 nela.

    Por conta da limitação do lote de ações (que devem ser sempre múltiplos de 100), é possível que você não consiga investir o valor exato que nós recomendamos, mas deve sempre procurar manter o valor mais próximo possível disso para que o objetivo proposto pela carteira não se perca.

  • Agora que você já sabe como interpretar as nossas recomendações, chegou a hora de aprender como, de fato, comprar uma ação.

    Nesse caso, será preciso que você abra conta em uma corretora ou em um banco de investimentos. Essas instituições são as únicas autorizadas a realizar a operação de compra e venda na bolsa de valores.

    Caso você já tenha conta em uma corretora, clique aqui e avance para depois do vídeo.

    Mas caso você não tenha, preparamos um vídeo ensinando como abrir conta nas principais opções de corretoras disponíveis no mercado. Você pode escolher a de sua preferência, mas se estiver em dúvida, pode consultar nosso tutorial sobre corretoras para conferir aquela que mais atende às suas necessidades. Vale ressaltar, no entanto, que nós não temos parceria ou preferência por nenhuma delas. Somos totalmente independentes e a escolha é totalmente sua.

    Agora que você já tem uma conta aberta em uma corretora, você deve transferir o dinheiro que deseja investir para a sua conta seguindo as recomendações da própria instituição.

    Feito isso, é só selecionar abaixo a sua corretora de preferência e acompanhar o vídeo que explica, passo a passo, como comprar uma ação.

  • Muito bem, supondo agora que você já é proprietário de um lote de ações, pode ser que em algum momento deseje ou precise se desfazer dela. Neste caso, você deverá fazer o processo pela mesma corretora.

    O caminho é bem simples, mas nós também preparamos um vídeo explicando como fazer isso. É só escolher a sua corretora de preferência e seguir o passo a passo do vídeo.

    ***

    Esse tutorial termina aqui. Ficou com mais alguma dúvida sobre Fundos Imobiliários? Envie um email para atendimento@capitalresearch.com.br e nós responderemos o mais rápido possível.