Como investir em renda fixa

Conheça os títulos de renda fixa que existem e como investir neles

Passo a passo

  • Ativos de renda fixa são investimentos nos quais a rentabilidade que o investidor obterá é definida no momento da compra ou segue uma regra predeterminada. Existem três tipos de títulos de renda fixa: pós-fixados, prefixados e indexados à inflação.

    Os pós-fixados têm sua rentabilidade atrelada às taxas de juros de mercado, normalmente rendendo um percentual do CDI ou CDI mais uma taxa fixa. 

    Os prefixados têm sua rentabilidade definida no momento da compra.

    Já os indexados à inflação rendem uma taxa definida no momento da compra mais a inflação ocorrida no período entre a compra e o resgate/vencimento.

    É importante destacar, porém, que cada uma das categorias apresenta suas vantagens e seus riscos.

    No caso dos títulos pós-fixados com taxa atrelada ao CDI, o investidor pode resgatar ou vender o título a qualquer momento que não correrá o risco de perder dinheiro, porém, se o CDI cair no período, sua rentabilidade também será reduzida, da mesma forma que, se aumentar, o investidor ganha mais. Caso seja um título pós-fixado que paga CDI + uma taxa fixa, vale o citado acima quanto ao comportamento do CDI, porém, se o investidor resgatar ou vender o título antes do vencimento, a rentabilidade realizada poderá ser inferior (ou superior) à estipulada no momento da compra, dependendo das condições de mercado.

    No caso dos títulos prefixados, caso o investidor mantenha-o até o vencimento, terá a garantia de que a rentabilidade será aquela contratada no momento da compra. Entretanto, caso necessite resgatar ou vender antes do vencimento, a rentabilidade realizada poderá ser inferior (ou superior) à estipulada no momento da compra, dependendo das condições de mercado. Além disso, mesmo se mantido até o vencimento, a rentabilidade dos títulos prefixados pode ser inferior à taxa de inflação, caso essa acelere. Dessa forma, existe o risco de o investidor perder poder de compra mesmo permanecendo com o papel até o vencimento.

    Já os títulos indexados à inflação garantem uma rentabilidade acima da inflação, se mantidos até o vencimento. Entretanto, caso necessite resgatar ou vender antes do prazo, a rentabilidade realizada poderá ser inferior (ou superior) à estipulada no momento da compra, dependendo das condições de mercado.

    Por último, para todos eles existe o risco de crédito, que é o risco de o devedor não realizar os pagamentos esperados do título. Por isso é muito importante avaliar o emissor de cada título antes de comprar.

    Para ilustrar, vale citar que um dos tipos de ativos de renda fixa mais conhecidos é a poupança. Geralmente oferecida junto com uma conta corrente nos bancos tradicionais, a poupança tem uma série de particularidades que fazem dela um ativo de renda fixa ruim.

    Existem, assim, diversos ativos de renda fixa melhores do que a poupança e tão acessíveis quanto ela. Para não desperdiçar oportunidades, é importante conhecê-los.

    Tipos de ativos de renda fixa

    Os ativos de renda fixa podem ser divididos de várias formas. Isso porque sua grande variedade de opções permite que eles sejam categorizados por rentabilidade, emissores, riscos etc.

    No primeiro caso, como antecipamos, existem três tipos de ativos divididos de acordo com sua rentabilidade: os prefixados, aqueles em que o rendimento percentual é estabelecido na hora da compra; os pós-fixados, aqueles em que o rendimento é normalmente atrelado ao CDI; e os indexados à inflação, aqueles em que recebem um rendimento fixo mais a inflação.

    Já no caso da divisão por emissores, podemos classificá-los como aqueles emitidos por instituições financeiras, como CDB, LCI/LCA e LF; por empresas não financeiras, como CRI e CRA; e pelo governo, como títulos do Tesouro.

    Por último, no caso da divisão por riscos, há diversos indicadores mais ou menos expostos à volatilidade do mercado financeiro que servem para categorizá-los. Como é o caso dos títulos de renda fixa indexados à inflação, à taxa de juros e ao dólar.

    No entanto, para encontrá-los, seja na plataforma da sua corretora, do seu banco de investimentos ou mesmo aqui nas nossas recomendações, será preciso conhecer os principais tipos pelo nome. Veja abaixo os investimentos mais populares da renda fixa:

    Poupança

    Criada em 1861, sob decreto de Dom Pedro II, a caderneta de poupança é um tipo de conta bancária onde você pode guardar seu dinheiro e ainda ganhar um percentual sobre o valor aplicado. Originalmente, a poupança rendia 6% de juros ao ano. Hoje em dia, no entanto, seu cálculo é feito levando em consideração a Taxa Selic (atualmente em sua mínima histórica) e a Taxa Referencial (atualmente zerada). Portanto, é considerada um ativo de renda fixa com péssimo rendimento.

    CDB

    CDB é a sigla para Certificado de Depósito Bancário. Dessa forma, esse que é um dos ativos de renda fixa mais conhecidos após a poupança e consiste em nada mais do que um empréstimo que o investidor faz aos bancos em troca de um rendimento esperado. Esse rendimento, por sua vez, pode variar, já que há tanto CDBs pré-fixados como pós-fixados.

    Títulos do Tesouro Nacional (Tesouro Direto)

    Os Títulos do Tesouro Nacional são títulos de renda fixa emitidos pelo Tesouro Nacional, um órgão do Governo Federal junto à Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Eles são também popularmente conhecidos como Tesouro Direto. Nesse caso, o investidor que compra um papel empresta o dinheiro para o governo e recebe em troca um rendimento a ser estabelecido. Assim, é a forma direta com que uma pessoa pode “emprestar” dinheiro para o governo. Eles podem tanto prefixados (Tesouro Prefixado), indexados à inflação (Tesouro IPCA+) ou pós-fixados (Tesouro Selic).

    LCI e LCA

    LCI é a sigla para Letra de Crédito Imobiliário. Já LCA é a sigla para Letra de Crédito do Agronegócio. Dito isso, sua compreensão fica muito simples. Na primeira você está emprestando dinheiro para o financiamento de atividades do setor imobiliário. E na segunda, você está emprestando dinheiro para atividades do setor agropecuário. Nesse caso, no entanto, ambos os títulos podem ser pós-fixados ou prefixados.

    Letra de Câmbio

    A Letra de Câmbio, ou LC, é um título de renda fixa muito parecido com o CDB. A principal diferença entre eles é que o CDB é emitido por um banco e a LC, por financeiras. Portanto, nesse caso, você empresta seu dinheiro para uma financeira e em troca recebe o valor emprestado mais uma remuneração em uma data definida no momento da aplicação. O rendimento, por sinal, pode ser prefixado ou pós-fixado. Por poderem ser emitidas por mais instituições, as LCs geralmente oferecem mais variedade de prazo e rentabilidade.

    CRI/CRA

    Os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e Certificados de Recebíveis Agrícolas (CRA) são títulos de renda fixa emitidos por companhias securitizadoras com a finalidade de financiar os mercados imobiliário e agrícola. Eles também podem ser pré-fixados, pós-fixados ou indexados à inflação e, por não terem um banco como intermediário, oferecem melhores taxas de rentabilidade. No entanto, são recomendados para investidores mais experientes e acostumados a investir valores mais altos. Além disso, tanto o CRI quanto o CRA são livres de Imposto de Renda e IOF para investidores pessoa física.

  • Se, agora que você conheceu a maioria dos tipos de ativos de renda fixa, ficou interessado em investir neles, deve saber que existem duas formas de fazer isso com as nossas recomendações.

    A primeira é através da Carteira Capital. Ela foi montada para priorizar a praticidade de acompanhamento e a diversificação que traz segurança para quem está investindo, além de ser pensada para funcionar sempre com o horizonte de longo prazo. Sendo assim, nós recomendamos o investimento em títulos com variedade tanto de prazos como de indicadores, como o Tesouro Selic 2025 (indexado à taxa Selic), o Tesouro IPCA+ (indexado à inflação) e o Tesouro Prefixado (com rendimento pré-estabelecido).

    É importante ressaltar que a alocação muda de acordo com o perfil do investidor, variando o total do seu patrimônio investido em títulos de renda fixa, no caso de você ter perfil conservador, moderado ou agressivo.

    Carteira Capital - Renda Fixa

    A segunda maneira de investir em renda fixa seguindo as nossas recomendações é por meio da nossa Carteira de Renda Fixa. Nesta modalidade, recomendamos uma alocação em títulos de renda fixa diferentes da Carteira Capital, incluindo exemplares de crédito privado, já que, aqui, a carteira apresenta um retorno esperado superior, porém assumindo um risco maior e abrindo mão de um pouco de liquidez (já que é muito difícil resgatar LCIs e LCAs antes do vencimento).

    No entanto, ressaltamos que o percentual a ser alocado em ativos de renda fixa através da Carteira de Renda Fixa segue o mesmo que é sugerido na Carteira Capital (70% no perfil moderado). 

    Sendo assim, para utilizar as recomendações da nossa Carteira de Renda Fixa, basta seguir estes passos:

    Ao visualizar o nosso relatório, na primeira coluna você encontrará a lista de títulos representados por seus respectivos logos e nomes.

    Na coluna do meio, você encontrará o tipo do título. Essa informação não tem efeito prático para o investidor, mas é bom para ter uma noção da diversificação com a qual a carteira foi pensada a fim de proteger o seu patrimônio e não deixá-lo dependente de um único indicador.

    Já na terceira coluna estarão listadas as alocações de cada ativo, ou seja, qual é o percentual do seu dinheiro que você deve investir em cada um desses títulos.

    Para ficar mais claro, suponha que você deseja seguir nossa recomendação e investir 70% do seu dinheiro em títulos de renda fixa e que esse montante seja de R$ 10 mil. Neste caso, se o percentual indicado para uma título for de 25%, recomendamos que você invista R$ 2.500,00 nele.

  • Uma vez que você tenha aprendido como interpretar nossas recomendações de investimento em renda fixa, chegou a hora de aprender como, de fato, comprar um título deste tipo.

    Neste caso, será preciso que você abra uma conta em uma corretora. Essas instituições são as únicas autorizadas a realizar a operação de compra e venda desse tipo de ativo.

    Caso você já tenha conta em uma corretora, clique aqui e avance para depois do vídeo.

    Mas caso você não tenha, preparamos um vídeo ensinando como abrir conta nas principais opções de corretoras disponíveis no mercado. Você pode escolher a de sua preferência, mas, se estiver em dúvida, pode consultar nosso tutorial sobre corretoras para conferir aquela que mais atende às suas necessidades. Vale ressaltar, no entanto, que nós não temos parceria ou preferência por nenhuma delas. Somos totalmente independentes e a escolha é exclusivamente sua.

    Agora que você já tem uma conta aberta em uma corretora, você deve transferir o dinheiro que deseja investir para a sua conta seguindo as instruções da própria instituição.

    Feito isso, é só selecionar abaixo a sua corretora de preferência e acompanhar os vídeos que explicam, passo a passo, como comprar títulos de Renda Fixa.

    Vale frisar que comprar títulos de renda fixos públicos é um pouco diferente de comprar os títulos privados. Primeiro, iremos mostrar como adquirir os públicos

    Agora, aprenda a comprar títulos de renda fixa privados.

  • Se você já possui um título de renda fixa, pode ser que em algum momento deseje ou precise se desfazer dele. Nesse caso, você deverá fazer o processo pela mesma corretora que comprou.

    Antes de continuar, gostaríamos de ressaltar que vender alguns títulos de renda fixa pode ser complicado e bastante punitivo para o investidor, dependendo das condições de mercado. Mas se você está decidido a vender mesmo assim, não tem problema.

    No caso de desejar vender um título de renda fixa privado, basta acessar a plataforma da sua corretora, localizá-lo na sua carteira de investimentos, clicar no botão resgatar correspondente e seguir as etapas indicadas pela instituição com atenção, sempre conferindo se trata-se do ativo e da quantidade correta que deseja vender.

    Mas no caso mais provável de ser um título de renda fixa público, o caminho é mais simples e nós preparamos um vídeo explicando como fazer isso. É só escolher a sua corretora de preferência e seguir o passo a passo do vídeo.

    ***

    Este tutorial termina aqui. Ficou com mais alguma dúvida sobre renda fixa? Envie um email para atendimento@capitalresearch.com.br e nós responderemos o mais rápido possível.