Como usar a Carteira Capital para investir

Entenda o que é e como utilizar a Carteira Capital para investir

Passo a passo

  • A Carteira Capital é a carteira de recomendação de investimentos básica da Capital Research.

    Ela foi montada com base na nossa filosofia de investimentos que tem como alguns de seus pilares o foco no longo prazo, a diversificação e a procura da melhor rentabilidade com exposição ao risco sob controle.

    Dessa forma, a Carteira Capital é composta por três tipos de ativos: ações, fundos imobiliários e renda fixa; e passa por uma atualização mensal dos nossos analistas de investimentos, que podem ou não mexer na sua composição.

    Atualmente, a Carteira oferece três versões: conservadora, agressiva e moderada. A diferença entre elas se dá por conta da alocação dos investimentos, ou seja, o percentual que recomendamos que você invista em cada tipo de ativo, e, consequentemente, a exposição ao risco e a rentabilidade esperada.

    No geral, a Carteira Capital versão conservadora é recomendada para investidores que priorizam a segurança, investindo em ativos de baixo risco e, portanto, de menor retorno esperado.

    Já a versão agressiva da Carteira Capital é indicada para investidores que priorizam obter maiores retornos no longo prazo e que, para isso, estão dispostos a assumir o risco de ter perdas relevantes no curto e médio prazo(s).

    Por último, a Carteira Capital versão moderada é feita pensando nos investidores que buscam um equilíbrio entre segurança e retorno no longo prazo, de modo a assumirem o risco de ter perdas moderadas no curto e médio prazo(s).

    Diante disso, é importante ter ciência do seu perfil de investidor antes de escolher a melhor opção de Carteira Capital para os seus investimentos.

  • Agora que você já entendeu as variações e do que se trata a Carteira Capital, chegou a hora de descobrir como usá-la.

    Em primeiro lugar, você deverá escolher qual versão da Carteira Capital você deseja seguir: conservadora, moderada ou agressiva. Para isso, basta clicar no botão correspondente que aparece logo ao lado do nome da carteira:

    Categorias da Carteira Capital

    Feito isso, é hora de localizar as informações dentro da tabela.

    O primeiro passo é encontrar cada um dos ativos que compõem a carteira: renda fixa, fundos imobiliários e ações; e, na sequência, verificar na mesma linha a indicação do percentual de alocação recomendado para cada uma delas, isto é, qual fatia do total do seu dinheiro você deve investir em cada categoria.

    Carteira Capital tipos de ativos

    Mas renda fixa, fundos imobiliários e ações são apenas categorias de ativos. Para conseguir, de fato, investir será necessário saber qual ativo específico está sendo recomendado.

    Sendo assim, na primeira coluna você encontrará o nome do ativo recomendado em negrito e, logo abaixo, se houver, o ticker correspondente, isto é: o código pelo qual esse investimento é encontrado na plataforma da sua corretora.

    Carteira Capital primeira coluna

    Na coluna do meio, você encontrará o setor no qual as empresas e os fundos imobiliários que recomendamos operam, além do tipo de título de renda fixa indicado. Essa informação não tem efeito prático nenhum para o investidor, mas é bom saber para ter uma noção da diversificação com a qual a carteira foi pensada, buscando reduzir o risco de ficar dependente de um único setor ou indicador econômico.

    Carteira Capital coluna do meio

    Já na terceira coluna, estarão listadas as alocações de cada ativo, ou seja, qual é o percentual do seu dinheiro que você deve investir em cada uma das empresas, fundos ou títulos.Carteira Capital terceira coluna

     

    Agora que você já sabe interpretar a tabela da Carteira Capital, um pouco mais abaixo no relatório você encontrará cada um dos ativos que constam na carteira de forma detalhada. Nessa parte, novamente estarão listados os nomes dos ativos e o ticker correspondente. Logo abaixo, também haverá algumas linhas sobre o nosso ponto de vista sobre cada um deles.

    Carteira Capital explicação de ativos

    Por último, caso você não entenda algum dos termos utilizados na Carteira Capital, você sempre poderá consultar o Glossário na parte final. Para tanto, basta clicar na setinha azul do lado direito e as explicações aparecerão para você.

    Carteira Capital glossário

  • Agora que você já aprendeu o que é e como localizar as informações na nossa carteira, precisa saber que, além das versões moderada, conservadora e agressiva, a Carteira Capital também pode passar ser adaptada por aqueles que desejam adicionar recomendações mais específicas.

    Em outras palavras, a carteira foi construída de forma modular para que um investidor possa substituir as recomendações básicas de um ativo que constam na Carteira Capital pelas recomendações específicas que constam na carteira daquele respectivo ativo.

    Dessa forma, quem quiser pode substituir, por exemplo, as recomendações de ações da Carteira Capital pela nossa Carteira de Ações. Nesse caso, o investidor estará substituindo a recomendação de duas ETFs por um conjunto de 10 ações que, acreditamos, baterá o Ibovespa, principal índice acionário da bolsa de São Paulo, mas que, por sua vez, também oferecem um risco maior.

    Carteira Capital Substituição

    Aqui, no entanto, cabe a ressalva. Para fazer essa alteração sem perder o propósito original da Carteira Capital e respeitar o perfil escolhido anteriormente (conservador, moderado ou agressivo), é preciso sempre seguir a alocação recomendada na Carteira Capital, ou seja, se a recomendação é de manter 15% do total do seu patrimônio investido em ações, mesmo substituindo os ativos contidos na Carteira Capital pelos sugeridos na Carteira de Ações, é importante que o total investido nesse ativo continue sendo de 15%.

    Da mesma forma que é possível fazer essas alterações com a nossa Carteira de Ações, conforme explicado acima, você também pode usar as Carteiras de Renda Fixa e Fundos Imobiliários e substituir os ativos de suas respectivas classes na Carteira Capital.

  • Mas além da adaptação para as carteiras específicas, também é possível adaptar a Carteira Capital para os diferentes tamanhos de bolsos. Dessa forma, tenha você R$ 100 ou R$ 1 milhão de patrimônio, pode começar a usar as nossas recomendações para investir.

    Para que seja possível preencher todos os requisitos de diversificação, rentabilidade, baixo risco e foco no longo prazo pensados pela Carteira, porém, você realmente precisará de um capital mínimo – que falaremos mais abaixo. Mas caso você não disponha do total necessário, recomendamos que você comece pela reserva de emergência.

    Reserva de emergência

    A reserva de emergência tem como objetivo ser utilizada em momentos imprevistos, como perda de emprego ou necessidade de gastos não planejados (conserto do carro ou da casa, dispêndios com saúde etc.).

    Para tanto, recomenda-se que você aplique nela um montante equivalente a, aproximadamente, seis vezes o seu gasto mensal médio recorrente.

    Em outras palavras, se você geralmente gasta R$ 1.000 por mês, por exemplo, é aconselhado que guarde R$ 6.000 como reserva de emergência. Na prática, você pode fazer uma reserva maior ou menor que essa, contanto que se sinta confortável. De qualquer forma, não recomendamos uma reserva inferior ao equivalente a três meses dos seus custos.

    Mas justamente por ser uma reserva de emergência, não se sabe quando e com que urgência será necessário usar esse dinheiro. Por esse motivo, sugerimos que você mantenha a sua reserva de emergência em investimentos de baixíssimo risco e de alta liquidez (que podem ser sacados a qualquer momento).

    Para isso, nós recomendamos o Tesouro Selic. No geral, uma das modalidades desse ativo sempre estará presente na nossa Carteira Capital com uma alocação substancial (a depender do seu perfil de investidor), mas nós recomendamos que você invista nele até que tenha a sua reserva de emergência completa e o capital mínimo necessário para seguir as demais recomendações.

    Mas, afinal de contas, qual é esse capital mínimo?

    Capital mínimo

    Para investir de forma completa na Carteira Capital versão moderada, comprando todos os ativos em proporções próximas das recomendadas, calculamos que seja necessário um capital mínimo de, aproximadamente, R$ 23 mil.

    A inviabilidade com menos dinheiro ocorre porque, para cada tipo de ativo, existe uma quantidade mínima que pode ser transacionada, conforme a tabela abaixo:

    Categoria Mínimo por transação
    Ações100 ações
    ETFs10 cotas
    Fundos Imobiliários (FIIs)1 cota
    Títulos do TesouroR$ 30,00
    Obs.: no caso de ETFs e ações, é possível realizar transações em quantidades menores do que as indicadas, porém, os ativos seriam negociados no chamado “mercado fracionário”. A liquidez no mercado fracionário é significativamente menor, o que pode dificultar o investimento/desinvestimento e causar distorções de preço, impactando negativamente o retorno dos investimentos.

     

    Abaixo exibimos, por ativo, a quantidade e o valor (considerando os preços no momento da escrita deste guia) a ser investido para se adquirir a Carteira Capital versão moderada com o menor montante possível e acompanhando a alocação sugerida.

    Para tanto, começamos comprando a quantidade mínima necessária da ETF BOVA11 e fomos alocando o restante dos recursos de acordo com a nossa recomendação de cada ativo na Carteira Capital, pensada para ser segura e rentável no longo prazo.

    Observe as duas colunas mais à direita para notar que a alocação simulada por nós é muito próxima da alocação recomendada, mas não são exatamente iguais. Quanto a isso, não há problema. Como explicamos acima, cada ativo tem uma quantidade mínima necessária que atua como um limitador, por esse motivo, é difícil que os números batam perfeitamente. O importante é que esses percentuais estejam próximos uns dos outros para que os fundamentos da Carteira Capital sigam valendo.

    Carteira CapitalCategoriaQuantidadePreço Unitário (R$)Valor Total (R$)Alocação simuladaAlocação recomendada
    Renda Fixa16.08069%70%
    Tesouro Selic 2025Título do Tesouro12.00051%50%
    IMAB11ETF30752.25010%10%
    IRMF11ETF30611.8308%10%
    Fundos Imobiliários3.50016%15%
    HGBS11FII62551.5306,5%5%
    HGRE11FII71601.1205%5%
    HGLG11FII71551.0854,5%5%
    Ações3.50015%15%
    IVVB11ETF201272.54011%10%
    BOVA11ETF10969604%5%
    Investimento total:23.315100%100%

    Antes de continuar, relembramos aqui a questão da reserva de emergência. Observe que, realizando o investimento mínimo na Carteira Capital (R$ 23 mil aproximadamente), você estará investindo R$ 12 mil em Tesouro Selic, o que, conforme mencionado anteriormente, tem como uma de suas finalidades ser utilizado para imprevistos.

    Esses R$ 12 mil podem ser suficientes ou não para formar a sua reserva de emergência. Assim, se você precisa de uma reserva de emergência menor ou igual a R$ 12 mil e tem pelo menos R$ 23 mil disponíveis, você já pode seguir todas as recomendações contidas na Carteira Capital versão moderada.

    Mas o que fazer caso você não tenha o capital mínimo necessário?

    Se esse é o seu caso, sugerimos que comece a investir pelos ativos de menor risco e, conforme o valor de sua carteira vá aumentando, passe a incluir as classes de maior risco. Sendo assim, são quatro etapas a serem seguidas com paciência e disciplina pelo investidor:

    1. inicie comprando títulos do Tesouro Selic até formar sua reserva de emergência;
    2. passe para os demais ativos de renda fixa, respeitando as alocações sugeridas;
    3. inclua os fundos imobiliários pouco a pouco;
    4. e, por último, adicione os ativos de renda variável à sua carteira.

    Para facilitar, realizamos duas simulações:

    Simulação de Renda Fixa

    Abaixo o investimento mínimo para alocar todos os ativos de renda fixa que recomendamos na versão moderada da nossa Carteira Capital:

    Renda FixaCategoriaQuantidadePreço Unitário (R$)Valor Total (R$)Alocação simuladaAlocação recomendada
    Tesouro Selic 2025Título do tesouro3.00069%70%
    IMAB11ETF107575017%15%
    IRFM11ETF106161014%15%
    Investimento total:4.360100%100%

    Repare que, na simulação acima, apenas R$ 3 mil estão alocados em Tesouro Selic. Mas lembre-se de, caso seja necessário, aumentar essa quantidade até o valor calculado para a sua reserva de emergência, para só então passar a comprar os outros ativos.

    Simulação de Renda Fixa + Fundos Imobiliários

    Agora, passemos para a simulação que também inclui os fundos imobiliários recomendados na versão moderada da Carteira Capital. Neste caso, podemos afirmar que com aproximadamente R$ 7 mil já é possível inclui-los na sua carteira, o que eleva o retorno esperado no longo prazo e traz benefícios de diversificação.

    Note, porém, que para que seja possível comprar o mínimo de fundos imobiliários e continuar seguindo a alocação sugerida por nós na versão moderada da Carteira Capital (85% em renda fixa e 15% em fundos imobiliários) é preciso aumentar o montante alocado em renda fixa:

     CategoriaQuantidadePreço Unitário (R$)Valor Total (R$)Alocação realAlocação recomendada
    Renda Fixa5.86084%85%
    Tesouro Selic 2025Título do Tesouro4.50064%61%
    IMAB11ETF107575011%12%
    IRFM11ETF10616109%12%
    Fundos Imobiliários1.14016%15%
    HGBS11FII22555107%5%
    HGRE11FII21603205%5%
    HGLG11FII21553104%5%
    Investimento total:7.000100%100%

    Novamente, ressaltamos que, apesar do montante alocado em Tesouro Selic ter aumentado para R$ 4,5 mil, é importante observar se a alocação é suficiente para ser utilizada como sua reserva de emergência.

    Por fim, caso consiga atingir esse patamar e tenha o perfil moderado, o próximo passo é economizar até atingir os R$ 23 mil para investir na Carteira Capital de forma completa.

    Talvez isso leve tempo e exija paciência, mas acompanhe nossas recomendações e logo você chegará lá!

    ***

    Este tutorial termina aqui. Ficou com mais alguma dúvida sobre ações? Envie um email para atendimento@capitalresearch.com.br e nós responderemos o mais rápido possível.